Mundo

EUA deixam de exportar armamento para Hong Kong

POOL New

Em causa está o controlo da China sobre aquele território.

Os Estados Unidos estão a suspender as exportações de armamento de defesa para Hong Kong, em protesto contra o controlo da China sobre aquele território, anunciou esta segunda-feira o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo.

"Não podemos continuar a fazer distinção entre exportar este material para Hong Kong ou para o resto da China", destacou, em comunicado, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo.

O governante invocou "a segurança nacional norte-americana", alertando que não quer "correr o risco de aquele material cair nas mãos do exército de Pequim", que tem como objetivo principal preservar a ditadura do Partido Comunista Chinês por "todos os meios necessários".

Esta tomada de posição diz respeito aos armamentos e equipamentos de defesa norte-americanos, cuja exportação exige 'luz verde' do Departamento de Estado, e não deverá ser objetivo de oposição no Congresso, noticia a agência AFP.

O Governo dos Estados Unidos também "irá tomar medidas para impor, em relação a Hong Kong, as mesmas restrições de tecnologia de defesa americanas e a dupla utilização civil e militar que impõe à China".

"Enquanto Pequim considerar Hong Kong como 'um país, um sistema', nós devemos fazer o mesmo", destacou Mike Pompeo.

Washington acusa a China de ter posto em causa os seus compromissos internacionais e o princípio "um país, dois sistemas" que concedia à antiga colónia britânica uma grande autonomia desde a sua entrega por Londres, em 1997.Em questão está uma lei de segurança que Pequim quer impor a Hong Kong.

O presidente norte-americano, Donald Trump, já tinha aberto o caminho para pôr em causa o estatuto preferencial que Hong Kong tem com os Estados Unidos.

Mike Pompeo alertou ainda que o Governo dos EUA poderá "tomar outras medidas" para protestar contra a política chinesa.