Mundo

Milhares de libaneses voltam a sair à rua em protesto

WAEL HAMZEH

Voltou a haver confrontos em Beirute entre manifestantes e polícia.

Pelo segundo dia consecutivo, milhares de pessoas saíram à rua em Beirute para exigir a demissão do Governo e mudanças imediatas no sistema político.

Mais de 100 pessoas ficaram feridas nos dois dias de protestos e um polícia morreu.

Primeiras baixas no Governo

Entretanto, a ministra da Informação do Líbano demitiu-se e pediu desculpa pelos falhanços do Governo que permitiram as explosões de terça-feira.

De seguida, foi a vez do ministro libanês do Ambiente e do Desenvolvimento Administrativo, que anunciou também este domingo a sua demissão.

As demissões de Samad e de Kattar são as primeiras baixas no Governo libanês após as explosões que provocaram pelo menos 158 mortos, 6.000 feridos e dezenas de desaparecidos, e que aconteceram num armazém onde, segundo o primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, estavam 2.750 toneladas de nitrato de amónio armazenadas, durante seis anos, "sem medidas cautelares".

Manal Abdel Samad

Manal Abdel Samad

Handout .

O primeiro-ministro já veio defender a realização de eleições antecipadas, e disse que daria dois meses aos partidos para se organizarem, mas os libaneses exigem a demissão imediata.

Pouca esperança de encontrar sobreviventes nos escombros

As esperanças estão a diminuir para encontrar sobreviventes no porto de Beirute, cinco dias depois das duas explosões devastadoras que atingiram a capital libanesa, anunciou este domingo o exército do Líbano.

"[Após vários dias de] operações de busca e salvamento, podemos dizer que encerramos a primeira fase, aquela que oferece a possibilidade de encontrar pessoas vivas. Continuamos a ter esperança, mas, como técnicos que trabalham no terreno, podemos dizer que a esperança de encontrar pessoas vivas está a diminuir", indicou o coronel Roger Khouri, chefe do regimento de engenheiros militares, durante uma conferência de imprensa.

MACRON PEDE QUE SE COLOQUEM DIVERGÊNCIAS DE LADO PARA AJUDAR LIBANESES

Ainda este domingo, na abertura da videoconferência internacional de doadores, o Presidente francês, Emmanuel Macron, defendeu "agir com rapidez e eficácia" para que a ajuda "vá muito diretamente" para a população libanesa.

Papa apela à solidariedade

O Vaticano enviou 250 mil euros à Igreja do Líbano para ajudar as vítimas da explosão em Beirute. Esta manhã, na bênção Urbi et Orbi, o Papa Francisco apelou à solidariedade de todos os povos.

Um retrato de uma capital destruída

  • 2:34