Mundo

Astronauta presta homenagem a Beirute a partir da Estação Espacial

https://twitter.com/Astro_SEAL

Laboratório orbital passou por cima da devastada capital.

Uma semana depois das explosões em Beirute, o astronauta da NASA Chris Cassidy partilhou como vê a devastada capital do Líbano a partir da Estação Espacial Internacional.

"Pensando em Beirute hoje. O meu coração está com todos aqueles que foram afetados pela tragédia recente. Envio amor a partir da Estação Espacial Internacional".

Chris Cassidy é atualmente o único astronauta da NASA no espaço, partilhando o laboratório orbital com os cosmonautas russos Anatoly Ivanishin e Ivan Vagner. O trio chegou em abril e permanecerá em órbita até outubro.

No próximo mês, deverão partir três astronautas da NASA e um astronauta japonês na nave Crew Dragon da SpaceX

Beirute uma semana depois das explosões

Uma semana depois das explosões no porto de Beirute, o balanço de vítimas revela mais de 150 mortos e seis mil feridos. Os prejuízos são incalculáveis, com cerca de metade dos edifícios da capital libanesa destruídos.

Beirute tenta agora limpar as ruas e começar a reconstruir com a ajuda de alguns países internacionais, que tentam fazer chegar apoio a nível alimentar e financeiro.

Nos próximos 10 dias, o Programa Alimentar Mundial deverá fazer chegar ao Líbano as primeiras 17 mil toneladas de farinha de trigo de um total de 50 mil. O ministro da Economia do Líbano garante, no entanto, que o país tem armazenadas 32 mil toneladas de trigo, suficientes para os próximos quatro meses.

As explosões destruíram os silos no porto de Beirute onde estava armazenado cereal. Em junho o preço do pão tinha subido 33%.

Nas ruas continuam também os protestos

O Líbano tem assistido a dias consecutivos de protestos, que muitas vezes resultam em confrontos entre polícia e manifestantes.

As explosões da semana passada alimentaram a raiva de uma população já mobilizada desde o outono de 2019 contra os líderes libaneses, acusados de corrupção e ineficácia.

Governo do Líbano demite-se em bloco

O primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, anunciou na terça-feira a demissão do seu governo, considerando que "a catástrofe que atingiu os libaneses (...) aconteceu devido à corrupção endémica na política, na administração e no Estado".

Até então, já quatro ministros tinham apresentado a demissão. Domingo demitiram-se a ministra da Informação, Manal Abdel Samad, e o do Ambiente e do Desenvolvimento Administrativo, Damiamos Kattar, e, na terça-feira, a da Justiça, Marie-Claude Najm, e o das Finanças, Ghazi Wazni.

Além do Governo, pelo menos nove deputados do Parlamento libanês também apresentaram a demissão.

As imagens da catástrofe um dia depois das explosões

  • 14:18
  • 2:34