Mundo

Protestos contra o racismo intensificam-se nos EUA

Dezenas saem às ruas para lembrar Daniel Prude.

Nos Estados Unidos da América, intensificam-se os protestos contra o racismo e contra a brutalidade policial.

O último caso a ser conhecido envolve um afroamericano que morreu na sequência de uma violenta detenção.

AUTÓPSIA REVELA MORTE POR "ASFIXIA CONSECUTIVA"

Daniel Prude entrou em coma e morreu uma semana depois ter sido hospitalizado.

O instituto de medicina legal concluiu, após uma autópsia, que a morte de Prude foi um homicídio, relacionado com uma "asfixia consecutiva por constrangimento físico".

"Trataram o meu irmão como um animal", afirmou Joe Prude (o irmão de Daniel Prude que pediu ajuda no dia da detenção), numa conferência de imprensa realizada na quarta-feira.

A ordem de suspensão ocorre um dia depois de os advogados da família de Prude terem divulgado as imagens captadas pela câmara de vídeo da própria polícia e que mostram os agentes a taparem a cabeça do homem enquanto o mantêm vergado no chão. A suspensão é a primeira ação disciplinar que aconetece depois da morte de Daniel Prude.

  • 3:09