Mundo

Aung San Suu Kyi excluída da Comunidade do Prémio Sakharov dos Direitos Humanos

Athit Perawongmetha

Parlamento Europeu considera que líder de Myanmar é conivente com os crimes contra a minoria muçumana Rohingya.

A líder da Myanmar, Aung San Suu Kyi, foi hoje formalmente excluída da Comunidade Prémio Sakharov por decisão da Conferência de Presidentes do Parlamento Europeu (PE), que considerarem que a líder de Myanmar nada fez para impedir os crimes contra a comunidade muçulmana Rohingya.

A decisão dos líderes do PE exclui a líder birmanesa da comunidade que inclui os galardoados com o prémio para a liberdade de pensamento e direitos humanos, atribuído anualmente.

"A decisão da Conferência dos Presidentes (que reúne o Presidente do Parlamento Europeu e os líderes dos grupos políticos) de excluir formalmente Aung San Suu Kyi de todas as atividades da comunidade laureada com o Prémio Sakharov sanciona a sua inacção e a sua aceitação dos crimes em curso contra a comunidade Rohingya ", diz o Parlamento em comunicado.

O prémio foi atribuído em 1990, quando Aung San Suu Kyi era líder da oposição birmanesa, tendo sido um ano depois galardoada com o Nobel da paz.