Mundo

Erdogan apela aos turcos para não comprarem produtos franceses 

MURAT KULA/TURKISH PRESIDENTIAL PRESS OFFICE HANDOUT

Erdogan aconselhou Macron a fazer "terapia mental" para as medidas que tomou contra o fundamentalismo islâmico em França.

O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, apelou esta segunda-feira à população do país para fazer um boicote aos produtos franceses.

O apelo acontece um dia depois do líder turco criticar as atitudes do Presidente francês, Emmanuel Macron, face aos muçulmanos.

Erdogan disse que Macron tinha um problema com a religião muçulmana e aconselhou-o a fazer "terapia mental" para as medidas que tomou contra o fundamentalismo islâmico em França, depois de um professor do ensino médio ter sido decapitado por mostrar caricaturas de Maomé em sala de aula, nos arredores de Paris.

O Presidente turco acusou Macron de agir contra milhões de muçulmanos em França, referindo-se à ofensiva contra o radicalismo islâmico, com o encerramento de uma mesquita e a dissolução de associações islâmicas em resposta ao assassínio do professor Samuel Paty.

Primeiro-ministro austríaco condena insultos de Erdogan a Macron

O primeiro-ministro austríaco condenou os insultos do Presidente turco ao seu homólogo francês e considerou que Ancara se afasta cada vez mais dos valores da União Europeia.

"Condeno os insultos do Presidente Erdogan contra o Presidente Macron", disse esta segunda-feira Sebastian Kurz numa mensagem publicada na rede social Twitter.

As palavras de Erdogan, de acordo com Kurz, "mostram mais uma vez que a Turquia está a afastar-se da União Europeia (UE)" e dos seus valores comuns.