Mundo

Polícia confirma quatro mortes e exclui terrorismo em atropelamento na Alemanha

Thilo Schmuelgen

Primeiros elementos da investigação mostram "que distúrbios psiquiátricos podem ter desempenhado um papel" no ato do homem de 51 anos.

O condutor que esta terça-feira provocou quatro mortes ao atropelar várias pessoas numa zona pedonal, em Trier, mostra sinais de "distúrbios psiquiátricos", afirmou o procurador dessa cidade do oeste da Alemanha, com a polícia a descartar motivações terroristas.

Os primeiros elementos da investigação mostram "que distúrbios psiquiátricos podem ter desempenhado um papel" no ato do homem de 51 anos, afirmou Peter Fritzen, em conferência de imprensa, acrescentado que o responsável pela tragédia, natural de Trier, estava também alcoolizado.

Ao início da tarde, uma viatura SUV cinzenta entrou a grande velocidade numa zona pedonal aos ziguezagues e de forma intencional para atropelar transeuntes e barracas de lojas durante várias centenas de metros.

Apenas quatro minutos depois, quando saiu para uma rua rodoviária, foi intercetado por vários carros da polícia e detido apesar de resistir.

As vítimas mortais são um bebé de nove meses (a mãe ficou ferida), uma mulher de 25 anos, um homem de 45 e uma mulher de 73, sendo ainda contabilizados 15 feridos, dos quais pelo menos cinco estão em estado grave.

Está a ser investigada a possibilidade de uma "doença psiquiátrica"

A Procuradoria de Trier indicou que o suspeito é um homem de 51 anos, de nacionalidade alemã, natural de Trier e que residia habitualmente na periferia da cidade, apesar de ter passado os últimos dias "no seu veículo".

O detido, que apresentava uma taxa de alcoolemia de 1,4 grama por litro de sangue, acima do limite legal de 0,25 g/l, não tinha antecedentes criminais, mas está a ser investigada a possibilidade de uma "doença psiquiátrica", uma vez que tinha sido examinado recentemente.

O suspeito está a ser investigado por quatro crimes de homicídio e "muitos mais" de tentativa de homicídio, por se considerar que pode ter sido um ato "malicioso" em que o carro foi usado "como arma".

Na quarta-feira, deve ser presente a tribunal e resta saber se vai continuar em prisão preventiva ou se é internado numa instituição psiquiátrica, afirmou a Procuradoria de Trier.

"O que aconteceu em Trier é chocante"

O autarca da cidade, Wolfram Leibe, mostrou-se chocado em breves declarações aos meios de comunicação depois de percorrer as ruas afetadas, falou de "horror" e confirmou que uma das falecidas era uma menor.

"Pessoas foram arrancadas da vida num segundo, mortas por esse ato de loucura, incluindo uma criança pequena, um bebé", afirmou à imprensa a líder regional de Renânia-Palatinado, Malu Dreyer, o Estado onde ocorreram os fatos.

Um curto vídeo publicado nas redes sociais mostra um veículo SUV imobilizado por viaturas policiais e um homem a ser algemado de barriga para baixo na calçada, interrogado ao final da tarde pelos investigadores.

Também o porta-voz da chanceler alemã Angela Merkel regiu através do Twitter:

"O que aconteceu em Trier é chocante. Os nossos corações estão com os familiares das vítimas, os muitos feridos e com todos aqueles que atualmente estão de serviço a cuidar dos afetados."

Vizinho reconheceu a matrícula do carro

O alegado autor do crime estava a passar por problemas psicológicos, segundo um dos seus antigos vizinhos, que em declarações ao canal de notícias NTV disse reconhecer a matrícula do carro, dizendo que o suspeito estava a passar por preocupações financeiras e "problemas com o pai".