Mundo

Espanha em corrida contra ao tempo para limpar estradas cobertas de neve 

Rodrigo Jimenez

Vacinas contra a covid-19 têm de ser distribuídas e alimentos entregues às zonas mais afetadas pela tempestade Filomena.

Espanha está numa corrida contra o tempo para limpar as estradas cobertas de neve e fazer chegar as vacinas contra a covid-19 e alimentos às áreas mais afetadas pela tempestade Filomena, que este fim de semana deixou Madrid pintada de branco.

Desde sexta-feira, uma espessa camada de neve começou a formar-se na capital espanhola, deixando várias estradas intransitáveis, comboios suspensos e o aeroporto temporariamente encerrado.

Pelo menos quatro pessoas morreram devido à tempestade e milhares de condutores ficaram presos na neve.

Este domingo, grande parte do comércio permaneceu encerrado e os poucos supermercados que abriram portas não conseguiram responder a tanta procura.

Mais de 6.200 operacionais foram mobilizados, entre militares e membros da proteção civil, para os trabalhos de limpeza, mas a missão contou também com a participação de inúmeros voluntários.

Governo assegura segurança no transporte da vacina

O Governo espanhol tomou medidas adicionais, que incluem escoltas policiais, para garantir o transporte seguro e distribuição esta segunda-feira das cerca de 300 mil doses da vacina contra a covid-19, como planeado pelas autoridades de saúde regionais.

"A prioridade é garantir o fornecimento de saúde, vacinas e alimentos. Os corredores foram abertos para entregar estes bens essenciais", disse o ministro dos Transportes espanhol, Jose Luis Abalos, que assegurou que as vacinas iam chegar "esta segunda-feira ao destino, como planeado".

O aeroporto internacional de Madrid começou a operar, novamente, este domingo à tarde, depois de ter cancelado todos os voos na sexta-feira.

De acordo com a BBC, cerca de 500 pessoas em Madrid foram obrigadas a passar a noite em abrigos temporários, entre os quais centros de desporto, depois de ficarem presas pelo nevão.