Mundo

EUA pedem libertação do opositor russo Alexei Navalny 

Opositor russo foi detido à chegada a Moscovo 

A administração de Joe Biden disse continuar a considerar todas as opções até estar concluído o relatório sobre o envenenamento de Alexei Navalny e de outras questões que envolvem a relação entre os Estados Unidos e a Rússia.

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, deixou ainda um apelo às autoridades russas que libertassem todos os presos nas manifestações e o líder da oposição.

A polícia russa deteve mais de 3.400 pessoas nos protestos no sábado em mais de 80 cidades exigindo a libertação do opositor Alexei Navalny, segundo o OVD-Info, um grupo não governamental que contabiliza detenções por motivos políticos.

Em Moscovo, a agência de notícias AFP estimou em 15 mil o número de manifestantes que se juntou na Praça Pushkin e noticiou que houve confrontos com a polícia, dos quais resultaram várias detenções, entre as quais as da mulher de Alexei Navalny.

Os serviços prisionais russos (FSIN) detiveram no passado dia 17 o opositor russo Alexei Navalny à chegada a Moscovo, acusando-o de ter violado os termos de uma pena de prisão suspensa a que foi condenado em 2014.

Principal figura da oposição ao Kremlin (Presidência russa), Navalny foi interpelado pela polícia à chegada ao aeroporto Cheremetievo de Moscovo, quando ia passar pelo controlo de passaportes, segundo testemunharam jornalistas da agência France-Presse (AFP) no local.