Mundo

Russos ficam indignados por EUA não referirem Yuri Gagarin em mensagem comemorativa

Retrato de Yuri Gagarin, primeiro homem no espaço, e a distinção que lhe foi atribuída de Herói da União Soviética (à direita), numa exposição dedicada ao 50º aniversário sobre o primeiro homem no espaço, em Moscovo, Rússia.

Alexander Zemlianichenko/ AP

A mensagem norte-americana pretendia assinalar os 60 anos do envio do primeiro homem para o espaço.

O responsável pela agência espacial russa, Dmitri Rogozine, condenou esta terça-feira a diplomacia norte-americana por não ter mencionado Yuri Gagarin nas mensagens que assinalaram os 60 anos do envio do primeiro homem para o espaço.

Na segunda-feira, o Departamento de Estado norte-americano publicou, em russo e em inglês, mensagens nas redes sociais por ocasião do Dia Internacional do Voo Espacial Habitado, celebrado anualmente a 12 de abril, mas o nome do primeiro cosmonauta, que efetuou este voo em 1961, não é mencionado.

"Sacanas. As superpotências não se comportam assim", escreveu na noite de segunda-feira no Twitter Dmitri Rogozine, responsável da agência espacial Roscosmos e um nacionalista russo conhecido por proferir declarações consideradas injuriosas, indica a agência noticiosa AFP.

A Rússia celebrou com orgulho o 60.º aniversário do voo de Gagarin, objeto de um verdadeiro culto popular e símbolo de uma importante vitória da então União Soviética sobre o rival norte-americano.

Nesta celebração, o Presidente Vladimir Putin considerou que a Rússia deve permanecer uma grande potência "nuclear e espacial", num momento em que a indústria espacial nacional regista dificuldades.

Em 2021, o chefe da Roscosmos tinha já manifestado indignação pela ausência de uma menção a Gagarin no comunicado do Departamento de Estado.

"As tentativas de apagar a façanha russa na história mundial não fará desaparecer a nossa memória, mas antes a dos desordeiros do outro lado do Atlântico", assinalou ainda Rogozine.