Mundo

Dezenas de feridos de Gaza levados para o Egito para assistência médica

Ibraheem Abu Mustafa

Os atuais combates são considerados os mais graves desde 2014.

Dezenas de feridos de Gaza foram levados este domingo para o Egito para receberem tratamentos médicos, enquanto Israel intensifica os bombardeamentos contra a Palestina, disseram responsáveis médicos e autoridades na fronteira de Rafah, citados pela agência France Presse.

Três comboios que transportavam um total de 263 palestinianos - feridos nos recentes bombardeamentos do exército israelita, assim como estudantes e doentes graves - conseguiram passar pela fronteira de Rafah e chegar à região egípcia Sinai do Norte, referiram as mesmas fontes.

A organização Crescente Vermelho, que garante ajuda humanitária no Egito, está no Sinai do Norte e adiantou hoje na sua página de Facebook que foram colocadas equipas de emergência médica no lado egípcio de Rafah, para ajudar a transportar os feridos para hospitais egípcios.

No sábado, o Egito abriu a fronteira terrestre com Gaza e enviou 10 ambulâncias para o enclave palestiniano para transportar para os hospitais egípcios palestinianos que ficaram feridos nos bombardeamentos israelitas, indicaram responsáveis médicos.

A passagem de Rafah, aberta excecionalmente pelo Egito para a entrada das ambulâncias na Faixa de Gaza, não é controlada por Israel, que impôs um bloqueio ao enclave palestiniano há cerca de 15 anos.

Por norma, esta passagem fronteiriça está encerrada aos feriados, incluindo a Eid al-Fitr, a celebração muçulmana que marca o fim do jejum do Ramadão e que começou na quarta-feira.