Mundo

Sondagem dá vitória a Lula da Silva na primeira volta das Presidenciais

Amanda Perobelli

Com a anulação das condenações, Lula da Silva recuperou os direitos políticos e poderá disputar as eleições presidenciais de 2022

O ex-presidente brasileiro Luís Inácio Lula da Silva aparece com mais do que o dobro das intenções de voto (49%) do que o atual Presidente do país, Jair Bolsonaro (23%), informa esta sexta-feira uma sondagem do Instituto Ipec sobre as presidenciais de 2022.

O levantamento indicou que Lula da Silva tem 11 pontos percentuais a mais do que a soma de todos os seus possíveis adversários.

Além dos dois principais nomes, o ex-governador e candidato nas últimas presidenciais Ciro Gomes aparece com 7% das inteções de voto, empatado tecnicamente com o atual governador de São Paulo, João Doria, que tem 5%.

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta aparece com 3% das citações, enquanto brancos e nulos somam 10%. Os eleitores que não sabem ou não respondem somam outros 3%. A margem de erro desta sondagem do Ipec é de dois pontos.

O instituto ouviu 2.002 pessoas em 141 municípios entre os dias 17 e 21 de junho.

O mau desempenho de Bolsonaro reflecte críticas da população sobre a condução da pandemia de covid-19 e os problemas económicos que o país enfrenta, que baixaram a avaliação do governante mais de 10%.

Com o avanço das investigações e depoimentos na Comissão parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19, que investiga no Senado as ações e possíveis omissões das autoridades na pandemia, a reprovação de Bolsonaro subiu 10 pontos percentuais em quatro meses, passando de 39% em fevereiro para 49% em junho, segundo outro levantamento feito pelo Ipec, divulgado na quinta-feira.

A aprovação do chefe de Estado brasileiro caiu de 28% para 24% na mesma sondagem e base de comparação.

Já Lula da Silva tem visto sua popularidade retornar e se fortaleceu como candidato depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu anular duas condenações que pesavam contra si de casos julgados ou instruídos pelo ex-juiz Sérgio Moro, na Operação Lava Jato.

O magistrado foi considerado suspeito para julgar Lula da Silva e os processo e investigações contra o ex-presidente realizados por ele voltaram a estaca zero e foram transferidos para a primeira instância de Brasília.

Com a anulação das condenações Lula da Silva recuperou os direitos políticos e poderá disputar as presidenciais de 2022.

Veja também: