Mundo

Vaga de calor nos EUA e Canadá provocada por fenómeno "cúpula de calor"

Temperaturas superam os 47 graus.

Está para ficar, pelo menos até ao final da semana, a vaga de calor que atinge a região ocidental dos Estados Unidos e do Canadá. Várias cidades estão a registar as temperaturas mais altas de sempre.

As altas temperaturas podem explicar a imprecisão do termómetro. Em várias cidades dos EUA, mais de 47 graus em Salem, no Oregon, Estado de onde também chegam imagens de estradas que abateram e cabos derretidos.

Já em Seattle, a temperatura atingiu os 42 graus à noite. Na cidade onde mais de metade da população não tem ar condicionado, os aparelhos estão a esgotar. Com o aumento do consumo de energia, muitas casas ficaram sem eletricidade.

Os especialistas explicam que a subida das temperaturas foi provocada por um fenómeno designado por cúpula de calor, agravado pelas alterações climáticas.

A zona de alta pressão estende-se da região ocidental dos EUA ao Canadá, onde várias cidades registaram temperaturas acima dos 46 graus.

Muitos procuram espaços ao ar livre como parques ou piscinas. Outros resguardam-se do calor.

Tanto nos Estados Unidos como no Canadá, em regiões pouco habituadas e pouco preparadas para o calor, as autoridades encerraram escolas, empresas e até centros de vacinação contra a covid-19.

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros