Mundo

Autoridades francesas resgatam 47 migrantes no Canal da Mancha

Na sexta-feira mais de uma centena de migrantes tinham já sido socorridos ao tentar uma travessia similar.

As autoridades francesas anunciaram este sábado ter socorrido, nas proximidades da localidade de Pas-de-Calais (norte) 47 migrantes que tentavam atravessar o Canal da Mancha rumo ao Reino Unido, em embarcações improvisadas.

Na sexta-feira mais de uma centena de migrantes tinham já sido socorridos ao tentar uma travessia similar, uma vez que o aumento das temperaturas, com a chegada do verão, favorece este tipo de partidas.

Esta manhã, o centro regional operacional de vigilância e socorro de Griz-Nez foi contactado por migrantes em dificuldades no largo de Sangatte, próximo de Calais. Cinco náufragos, entre os quais uma mulher grávida, foram socorridos, tendo acabado por desembarcar no porto de Boulogne-sur-Mer.

Posteriormente, uma outra embarcação, com 22 elementos a bordo, sinalizou uma avaria no motor, sendo recolhida no porto de Dunquerque.

O centro regional operacional de vigilância e socorro de Griz-Nez viria a ser novamente contactado por uma terceira embarcação, com 20 pessoas, pelo mesmo motivo. Coube ao porto de Boulogne-sur-Mer fazer o acolhimento. Sãos e salvos, ficaram sobre alçada dos bombeiros e do serviço de estrangeiros e fronteiras de França.

Desde finais de 2018 que estas travessias ilegais de migrantes no Canal da Mancha, procurando chegar ao Reino Unido, se têm multiplicado, apesar dos repetidos avisos das autoridades que alertam para o perigo da densidade de tráfego, às fortes correntes e à baixa temperatura da água.

Em 2020, mais de 9.500 travessias, ou tentativas, foram registadas, ou seja quatro vezes mais que em 2019, segundo dados das autoridades marítimas. Seis pessoas morreram e três foram dadas como desaparecidas, depois dos quatro falecimentos em 2019.