Mundo

EUA vão iniciar retirada de funcionários afegãos que apoiaram tropas no Afeganistão

US ARMY

Mais de 18 mil afegãos trabalharam como tradutores, engenheiros, motoristas, guardas de segurança e funcionários da embaixada dos EUA durante a guerra.

Os Estados Unidos anunciaram esta quarta-feira que vão começar a retirar do Afeganistão, no final deste mês, milhares de tradutores e outros funcionários afegãos que apoiaram os seus soldados durante as duas décadas de guerra no país.

"Os voos para transferir do Afeganistão os requerentes do SIV (visto de entrada nos EUA) que já enviaram as suas petições começarão na última semana de julho", disse um alto funcionário dos EUA.

De acordo com os 'media' norte-americanos, há mais de 18.000 afegãos que trabalharam como tradutores, engenheiros, motoristas, guardas de segurança e funcionários da embaixada dos EUA durante a guerra e que solicitaram o SIV.

Esse visto geralmente é concedido a estrangeiros que enfrentam ameaças por terem trabalhado para o Governo dos Estados Unidos, mas o processo para obtê-lo pode demorar anos, o que criou um problema para a Casa Branca no contexto dos seus planos de retirada militar do Afeganistão.

Os mais de 18.000 candidatos ao visto também têm 53.000 familiares, de acordo com o jornal The New York Times, o que aumenta a dimensão desse problema.

Retirada dos requerentes de vistos

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, prometeu que Washington retirará do Afeganistão os requerentes de vistos, antes do fim do processo de retirada das tropas dos Estados Unidos, que está mais de 90% concluído e que deverá terminar até 11 de setembro.

Embora os voos com requerentes de visto estejam programados para começar a deixar o Afeganistão na última semana de julho, não há pormenores específicos sobre quando os aviões descolarão, "por razões de segurança".

A "Operação Abrigo para os Aliados", como Washington apelidou o processo de evacuação, beneficiará "cidadãos afegãos interessados e as suas famílias", desde que cumpram os requisitos de "apoiar os Estados Unidos" e os seus parceiros no Afeganistão.

O Governo dos Estados Unidos não esclareceu para onde serão transferidos esses milhares de afegãos, nos próximos tempos, enquanto aguardam a aprovação dos seus vistos para os Estados Unidos, um processo que pode demorar anos.

Nas últimas semanas, vários meios de comunicação social apontaram o Qatar, os Emirados Árabes Unidos ou o território americano de Guam como possíveis destinos temporários que estão a ser considerados pela Casa Branca, embora haja rumores de que possam ser transferidos para o Tajiquistão, Cazaquistão ou Uzbequistão.