Mundo

Israel cria comissão de inquérito para avaliar utilização indevida do programa Pegasus

Programa informático de espionagem está disponível desde 2016.

O Parlamento de Israel criou uma comissão de inquérito para avaliar as alegações de utilização indevida do programa informático de espionagem Pegasus.

Uma investigação jornalística internacional revelou que esta ferramenta foi utilizada para espiar jornalistas, ativistas de direitos humanos e políticos, entre eles o Presidente francês. Emmanuel Macron já mudou de número de telefone e de aparelho.

Angela Merkel é uma das primeiras figuras políticas a manifestar grande preocupação sobre o acesso a esta tecnologia.

"É importante que o software concebido para determinados fins não caia nas mãos erradas. Isto significa que há condições bastante restritivas e que não se deve vender esse software a países em que a monitorização judicial de tais ataques, por exemplo, não seja garantida", afirmou a chanceler alemã.