Mundo

Incêndios. Milhares de pessoas retiradas de casa nos arredores de Atenas

Grécia enfrenta a maior onde de calor em 30 anos.

A onda de calor que atinge o sudeste da Europa não dá tréguas e os incêndios na Turquia e na Grécia continuam a gerar sofrimento e destruição.

A Proteção Civil grega refere um microclima gerado pelo próprio fogo que facilitou ainda mais a propagação das chamas. Quando o incêndio deflagrou, a temperatura já rondava os 45 graus, a humidade era inferior a 10% e as rajadas de vento na ordem dos 50 quilómetros por hora.

Varympopi, 20 quilómetros a norte de Atenas, foi um dos três subúrbios evacuados e o mais afetado.

Na Turquia, e pelo oitavo dia, parte da zona costeira continua a arder. Em Marmaris, os habitantes dizem que não pregam olho e fazem turnos de vigilância para antecipar a aproximação das chamas.

O calor tórrido, os ventos fortes e a reduzida humidade atmosférica não dão tréguas e alimentam os incêndios.

Milhares de bombeiros e habitantes na província de Muğla estão exaustos e temem mais reacendimentos.