Mundo

Presidente turco condena "ataque vil" em Istambul

Presidente turco condena "ataque vil" em Istambul
NECATI SAVAS

Erdogan disse que a explosão terá sido causada por um "traiçoeiro" ataque "à bomba".

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, considerou este domingo um "ataque vil" a explosão que causou seis mortos e 58 feridos, em Istambul, de acordo com um último relatório das autoridades.

"Os perpetradores deste vil ataque serão desmascarados", afirmou o Presidente da Turquia, apelando ao povo daquele país para que "tenha certeza de que os perpetradores serão punidos".

De acordo com a Agência France-Presse (AFP), Erdogan falava à televisão estatal duas horas após a explosão que ocorreu na Avenida Istiklal, em Istambul.

"As primeiras observações apontam para um atentado terrorista", disse Erdogan aos jornalistas, indicando que "uma mulher estaria envolvida".

"Os autores deste vil atentado serão desmascarados", acrescentou.

Segundo a Associated Press (AP), antes de partir para a cimeira do G20, na Indonésia, o Presidente turco disse ainda que a explosão terá sido causada por um "traiçoeiro" ataque "à bomba".

Quatro pessoas morreram no local e duas no hospital, disse Erdogan. A agência de notícias estatal Anadolu tinha já informado terem sido designados cinco promotores de justiça para investigar a explosão.

O Conselho Supremo de Rádio e Televisão, órgão que vigia os órgãos de comunicação social na Turquia, impôs uma proibição temporária de relatos sobre a explosão -- uma medida que impede as emissoras de exibir vídeos do momento da explosão ou das suas consequências.

O mesmo órgão já tinha imposto proibições semelhantes no passado, após ataques e acidentes.

Em imagens difundidas nas redes sociais, ouve-se o momento da explosão, acompanhado de chamas e desencadeando imediatamente um movimento de pânico. Uma grande cratera negra também é visível nestas imagens, assim como vários corpos no solo nas proximidades.

Outras imagens mostraram ambulâncias, carros de bombeiros e da polícia no local.Utilizadores das redes sociais disseram que as lojas foram fechadas e a avenida encerrada.

A Turquia foi atingida por uma série de atentados mortais entre 2015 e 2017 cometidos pelo grupo Estado Islâmico e grupos curdos.

Nesse período, a Avenida Itstiqlal foi atingida por um ataque reivindicado pelo grupo Estado Islâmico, que matou quase 500 pessoas e feriu mais de 2.000.

Últimas Notícias
Mais Vistos