Mundo

Casal russo detido na Suécia por suspeita de espionagem

Casal russo detido na Suécia por suspeita de espionagem
Canva

Detidos serão um casal de russos com cerca de 70 anos, donos de uma empresa de componentes eletrónicos.

Duas pessoas foram detidas na região de Estocolmo por "atividade de inteligência ilegal agravada" contra a Suécia, divulgaram as autoridades suecas, enquanto os órgãos de comunicação locais noticiaram que os suspeitos são um casal de origem russa.

"Uma das pessoas detidas é suspeita de atividade de inteligência ilegal agravada contra a Suécia e de atividade de inteligência agravada contra uma potência estrangeira. A outra pessoa é suspeita de cumplicidade", realçaram os serviços secretos suecos, conhecidos pelo acrónimo sueco SAPO, em comunicado.

A nota de imprensa detalha também que uma terceira pessoa foi alvo de interrogatório.

Acusação

Segundo documentos judiciais obtidos pela agência France-Presse (AFP), a acusação estima que a recolha de informações de inteligência começou em janeiro de 2013 na região de Estocolmo.

Já a SAPO indicou que a investigação que deu origem às detenções decorria "há algum tempo", mas sem acrescentar qualquer informação sobre a identidade dos suspeitos, os países envolvidos nas atividades de inteligência ou a natureza da informação recolhida.

Segundo o jornal Aftonbladet, os detidos serão um casal de russos com cerca de 70 anos, donos de uma empresa de componentes eletrónicos.

O casal foi detido na madrugada desta terça-feira num subúrbio residencial de Estocolmo onde moram, acrescentou.

Segundo este jornal sueco, trata-se do homem que seria suspeito de espionagem a favor da Rússia."São pessoas comuns que cumprimentamos de vez em quando", destacou um vizinho ao Aftonbladet.

As autoridades suecas sublinharam que estas detenções "não têm ligação com outros casos atualmente em curso pelos serviços de informações".

Em novembro, a procuradoria já havia acusado dois irmãos suecos de "espionagem agravada" em benefício da Direção-Geral de Inteligência Russa (GRU), entre 2011 e 2021.O julgamento destes deve começar esta semana.

Últimas Notícias
Mais Vistos