Opinião

Outra vez… os excessos

José Manuel Freitas

José Manuel Freitas

Comentador SIC Notícias

Às terças e sextas o futebol marca presença maioritária no Match Point, mas o Desporto em geral terá sempre aqui o seu espaço. Na escrita de José Manuel Freitas.

Volta a estar bastante tumultuado o futebol português. Ciclicamente parece fazer parte do seu quotidiano, mas como já defendeu o presidente do FC Porto, Pinto da Costa, é tempo de dizer basta! Mas um basta global: às más decisões arbitrais, e nesse particular deve dizer-se que o campeão nacional tem sobejas razões de queixa, mas também à intolerância, à incompreensão e, muito particularmente, às ameaças, que vão ao ponto de envolver crianças inocentes, longe de entenderem como são as relações colaterais neste espetáculo de milhões. De milhões de espetadores, mas muito especialmente de muitos (mas mesmo muitos) milhões de euros.

Das críticas (e também apelos, apaziguadores, mas que nas horas a seguir ao que se passa em Braga não tiverem o efeito desejado pela principal figura portista) ressalta, justificadamente, os reparos ao secretário de estado do Desporto que, na verdade, Portugal não tem. Agora por estar, e bem, reconheça-se, envolvido na linha da frente do ataque à pandemia, mas por na maior parte do tempo do seu mandato não se notar a sua presença. Numa crise semelhante, em qualquer país democrático como Portugal, mesmo aceitando-se que o Mundo continua em polvorosa, o Poder político já teria dado um qualquer sinal. Aqui, já se sabe. Aliás, se me é permitida a posição, porque desde sempre sou crítico do dr. Rebelo, quando voltarmos ao normal, se eventualmente o dr. António Costa remodelar o executivo… não se esqueça do Desporto. Até porque o dr. Rebelo tem mostrado ser bem mais útil a fazer outras coisas.

No meio de todo este cenário, não que me esqueço de outra área, esta no futebol propriamente dito: este Conselho de Arbitragem também precisava de lavar a cara. Apenas dois exemplos, pois estou farto de chover no molhado: em Famalicão, Luís Godinho e Soares Dias (VAR), foram fortemente criticados pelo Sporting; uma hora depois, fonte do CA, veio a terreiro defender o juiz; agora, em Braga, aconteceu o mesmo? Não, nem uma palavra! E como é que não foi ponderada a nomeação deste juiz e deste VAR (Hugo Miguel) depois do desempenho que tiveram no recente FC Porto-Benfica? Bom senso precisa-se… como forma de evitar excessos. Que se podem (como desejo que não) em coisas bem mais graves. Só não entendo os motivos porque o dr. Fernando Gomes (presidente da FPF) continua a segurar Fontelas Gomes e seus pares.

BENFICA DEU PASSO GIGANTE NA TAÇA

Enquanto FC Porto e Sp. Braga adiaram para 3 de março a decisão de qual dos dois será finalista da Taça de Portugal, uma vez que empataram (1-1) no desafio já referido, o Benfica deu passo de gigante para estar na decisão da competição, uma vez que venceu confortavelmente no Estoril, por 3-1, jogo em que dominou completamente, apesar de ter estado em desvantagem no marcador.

Darwin Nuñez foi uma das figuras da noite, obtendo dois dos três golos encarnados, jogo onde já esteve Lucas Veríssimo, a mais recente contratação dos benfiquistas. O brasileiro ficou os 90 minutos no banco de suplentes, não se prevendo para quando a sua estreia… até porque JJ já deixou perceber que não é sua intenção apostar num esquema de três centrais.

O AZARADO DAVID CARMO

David Carmo é um dos mais promissores futebolistas portugueses. No Sp. Braga desde a temporada 15/16 garantiu, aos 21 anos, a titularidade no clube minhoto, prevendo-se que venha a ser no futuro pedra basilar na principal seleção de Portugal. Muito cobiçado no estrangeiro, podia nesta altura estar a defender as cores do Liverpool, mas os bracarenses optaram por não levar por diante a transferência, por entenderem que o jovem futebolista é fundamental nos esquemas de Carlos Carvalhal.

Infelizmente para ele, a noite de anteontem foi-lhe aziaga, uma vez que, num lance com Luís Diaz, contraiu grave lesão que, no mínimo, vai mantê-lo afastado dos relvados durante quatro meses. A David Carmo desejamos-lhe que tenha a força e coragem suficientes para suplantar esta situação dolorosa, mas certamente pontual, da sua carreira.

BAYERN CONFIRMOU-SE, PALMEIRAS DESILUDIU

Pela segunda vez na sua história, o Bayern Munique conquistou no Catar o segundo Campeonato do Mundo de Clubes da sua história, batendo o Tigres pela diferença mínima, confirmando-se em absoluto como a melhor equipa de futebol da atualidade, devendo afirmar-se que o resultado foi bastante lisonjeiro, uma vez que os bávaros dominaram por completo, passando grande parte do tempo no meio terreno defendido pelos mexicanos.

Já o Palmeiras, que surgiu na discussão da competição como o emblema como mais possibilidades de discutir o troféu com os bávaros, não conseguiu melhor do que a quarta posição, uma vez que voltou a perder. Desta feita, frente ao Al Ahly, desaire, de novo, agora na decisão por grandes penalidades, e um final de prova que deixou os brasileiros com uma lágrima ao canto do olho. Resta agora, para juntar à conquista da Libertadores, a decisão da Copa do Brasil, frente ao Grémio, jogos a 28 deste mês e 7 de março, uma competição que tem tudo para confirmar o bom desempenho de Abel Ferreira na liderança dos paulistas.

ESTÁ GARANTIDO O REGRESSO DA F1

Portugal volta a receber, pelo segundo ano consecutivo, o Grande Prémio de Fórmula 1, na pista do Algarve, decisão confirmada pela organização do campeonato nesta quinta-feira. A corrida propriamente dita terá lugar na tarde de 2 de maio – as sessões de treino terão lugar nos dois dias anteriores – e a escolha portuguesa só vem confirmar, não só as excelentes condições do Autódromo de Portimão, mas também a forma como decorreu a prova em 2020 e que consagrou Lewis Hamilton como hepta campeão mundial.

O campeonato de 2021, que ainda não viu confirmado Hamilton como piloto da Mercedes, será o mais longo de sempre, com 23 corridas, inicia-se a 28 de março, no Bahrain, e termina no Abu Dhabi, a 12 de dezembro. A prova lusa será a terceira do calendário e nesta altura, por força das restrições motivadas pela pandemia, ainda não há garantia de que contará com a presença de público. Recorde-se que no ano passado a prova contou com a presença de espetadores, mas devido aos “abusos” foi duramente criticada posteriormente. O que se deseja, na presunção de que terá adeptos, que as regras sejam integralmente cumpridas.

► A PÁGINA DO MATCH POINT