Opinião

Que bem fica o ouro a Portugal!

José Manuel Freitas

José Manuel Freitas

Comentador SIC Notícias

Às terças e sextas o futebol marca presença maioritária no Match Point, mas o Desporto em geral terá sempre aqui o seu espaço. Na escrita de José Manuel Freitas.

O atletismo português de pista tornou-se numa marca universal desde 1984. Esses fantásticos Jogos Olímpicos de Los Angeles foram, absolutamente, o pontapé de saída para quase quatro décadas de sucessivos triunfos na pista, uma vez que as grandes vitórias tiveram início em 1977, em Palência, quando o Sporting conquistou pela primeira vez a Taça dos Campeões Europeus de corta-mato, equipa liderada por Carlos Lopes, que venceu individualmente, da qual fazia parte Fernando Mamede, e tinha como treinador o mítico prof. Moniz Pereira – nesta especialidade, os leões têm 17 títulos, entre masculinos e femininos, o Maratona 16, o Sp. Braga 7 (só senhoras) e a Conforlimpa 1 (só homens).

Na pista, desde LA, onde Carlos Lopes conquistou o primeiro ouro olímpico – a ele se juntariam mais tarde Rosa Mota, Fernanda Ribeiro e Nélson Évora –, até Torun, cidade que acolheu no final de semana os Europeus de pista coberta, as medalhas lusas são imensas (10 em JO, 22 em Mundiais, 35 em Europeus, 13 em Mundiais de pista coberta e 26 em Europeus desta especialidade), com especial destaque para o feito inédito acontecido na Polónia, com a conquista de três medalhas de ouro, o que me leva a escrever que tão bem fica esse metal ao atletismo de Portugal.

Em jeito de previsão tínhamos deixado a ideia na última crónica que o selecionado português podia perfeitamente regressar a casa com três pódios, com Dongmo. Pichardo e Mamona como os mais fortes candidatos, realidade plenamente confirmada e até superada, pois conquistar três medalhas de ouro (mais só a Holanda, com quatro, duas também no último dia das estafetas 4x400 metros) só está mesmo ao alcance das melhores formações europeias e, na verdade, desde há algum tempo que Portugal não conseguia medalhas, quanto mais com esta dimensão – os últimos medalhados foram João Vieira (prata nos 50 Kms. marcha do Mundial 2019) e Nélson Évora (prata no triplo salto nos Europeus de pista coberta também nesse ano).

Com estes resultados, a que se juntam o 4.º lugar no peso, por Francisco Belo, e o 5.º nos 60 metros, da autoria de Carlos Nascimento, Portugal pode olhar com grande otimismo para os Jogos Olímpicos de Tóquio, através destes atletas, mas também de muitos outros que já têm mínimos, especialmente Nélson Évora (caso se apure), Liliana Cá, João Vieira ou Ana Cabecinha. Os resultados obtidos em Torun levam a que se olhe para a modalidade nos tempos de Lopes, Mamede, Rosa Mota, Fernanda Ribeiro, Naide Gomes, Rui Silva ou Francis Obikwelu. Pelo menos… deixam-nos a todos de água na boca.

NOVO TROFÉU PARA ABEL FERREIRA

Domingo, aliás, foi um dia muito especial para o Desporto nacional, pois encerrou com um treinador de futebol a comemorar nova conquista: Abel Ferreira, técnico que levou o Palmeiras a conquistar pela 4.ª vez a Copa do Brasil, na sequência da vitória na Taça dos Libertadores da América, que é para os sul-americanos o equivalente à Liga dos Campeões na Europa. Uma conquista sem mácula, uma vez que o “verdão” levou de vencida o Grémio nos dois jogos: na semana passada pela diferença mínima, anteontem por 2-0.

Com pouco mais de quatro meses à frente da equipa paulista, aceitando construir uma equipa com os futebolistas de que o clube dispunha, sem ter feito qualquer contratação, Abel Ferreira montou uma equipa ganhadora e que só não foi mais longe no Brasileirão – e não chegou à final do Mundial de Clubes – porque não dava para tudo. Uma coisa é certa: o treinador português confirmou aquilo que já dele se sabia e com estas duas conquistas aumentou imenso o seu crédito. A ponto de, prevemos, quando regressar à Europa poderá ter um grande projeto à sua espera.

FC PORTO JOGA TUDO NA CHAMPIONS

Era muito bom que esta onda tão positiva pudesse cobrir o FC Porto, que na noite de hoje, em Turim, joga a sua continuidade na Liga dos Campeões, depois de no Porto ter levado de vencida o emblema de Cristiano Ronaldo (2-1). Um jogo que deve ser visto como o mais importante da presente época portista, depois de terem falhado os objetivos nas Taças de Portugal e da Liga, e de a sua situação não ser a mais confortável na principal competição – quanto a esta competição, dragões, leões e águias venceram os seus jogos (o líder triunfou, mais uma vez, em cima da hora, naquela que foi a sua pior prestação esta época), mas a ronda só termina hoje com a realização do sempre muito apetecível “derby” minhoto entre Sp. Braga e Vitória.

Reconhecendo-se que a Juventus também faz deste jogo o mais importante da sua época – no início da competição é sempre apontado como candidato a conquistar o troféu, mas depois nunca passa disso… - e que, certamente, procurará realizar um desempenho diferente daquele que produziu no Dragão, seria de todo fundamental que o FC Porto apresentasse os seus mais influentes futebolistas, mas neste preciso momento Pepe e Corona, dois elementos capitais, ainda estão incertos na ida a jogo e caso não possam alinhar… a situação complica-se. No entanto, é de acreditar que a passagem aos quartos de final está à distância de 90 minutos e que na Champions, o FC Porto, normalmente, supera-se. Que se supere logo é o que mais se deseja!

LIGA EUROPA DOS TREINADORES PORTUGUESES

Infelizmente já sem equipas portuguesas em prova, a Liga Europa, que regressa esta quinta-feira, continua a dizer muito ao futebol português, uma vez que quatro das 16 equipas em competição são lideradas por treinadores portugueses: José Mourinho, que comanda o Tottenham e encontra nesta ronda o Dínamo Zagreb, Paulo Fonseca e Luís Castro, técnicos de, respetivamente, Roma e Shakhtar que são rivais nesta eliminatória, e Pedro Martins, que no passado domingo conseguiu a 100.ª vitória pelo Olympiacos, vai procurar levar os gregos à eliminação do Arsenal, emblema inglês que eliminou o Benfica. A única coisa garantida é que mesmo que nem tudo corra bem… um treinador luso estará nos quatros de final da competição!

► A PÁGINA DO MATCH POINT

  • 2:33