País

Detido presumível autor de vários fogos ocorridos em Ovar

A Polícia Judiciária de Aveiro anunciou esta quarta-feira a detenção de um homem, de 30 anos, suspeito de ter ateado vários incêndios florestais no mês de agosto, em Ovar.

Em comunicado, a PJ refere que o indivíduo, sem ocupação profissional definida, "demonstra fascínio pela atividade dos bombeiros a combater os incêndios".

O suspeito foi detido após mais um incêndio florestal ocorrido no concelho de Ovar, na passada sexta-feira.

Da investigação, segundo a PJ, resultou a recolha de "fortes" indícios que conduziram à detenção fora de flagrante delito do suspeito.

"Na mesma zona ocorreram já este ano mais de duas dezenas de incêndios similares, sendo assim de admitir que o detido possa estar também na origem de alguns deles, prosseguindo a investigação", refere ainda a mesma nota.

O detido vai ser presente a primeiro interrogatório para aplicação das medidas de coação.

No corrente ano, a PJ já identificou e deteve 83 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.

Lusa

  • PJ deteve 13 incendiários na última semana
    2:02

    País

    Só esta semana, a Polícia Judiciária deteve 13 incendiários, o que faz subir para 78 o número de detenções desde o início do ano. No mesmo período de 2016, tinham sido detidas 44 pessoas. Segundo as autoridades, o número de mulheres detidas também aumentou.

  • O perfil psicológico dos incendiários
    8:44

    Edição da Manhã

    Mais de 60 detidos, só este ano, suspeitos de fogo posto. A Polícia Judiciária tem um gabinete específico para estudar os labirintos da mente destes criminosos. Um trabalho no terrreno que conta com um arquivo de histórias que se amontoam há duas décadas. São mais homens do que mulheres, muitos deles com problemas como o alcoolismo, encontram-se num estado de depressão profunda ou sofrem de doenças mentais. Na Edição da Manhã, Cristina Soeiro, a Chefe do Gabinete de Psicologia da Escola da PJ, deu as respostas às perguntas que se impõem neste tema.

  • Incendiários vão passar o verão com pulseira eletrónica

    País

    Os tribunais vão poder condenar os incendiários a penas de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, durante as épocas de incêndio. A nova lei foi aprovada na semana passada, na Assembleia da República, e aguarda a promulgação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.