País

Colégio arbitral decreta serviços mínimos para a greve dos professores

O colégio arbitral nomeado para decidir serviços mínimos na greve dos professores às avaliações decretou "por unanimidade" que estes se vão aplicar aos conselhos de turma dos 9.º, 11.º e 12.º anos, anunciou esta terça-feira o Ministério da Educação.

Através de um comunicado, o Ministério da Educação da conta da decisão do Colégio Arbitral e adianta que os conselhos de turma relativos ao 9.º, 11.º e 12.º anos terão de ser realizados até 5 de julho, para que sejam emitidas as avaliações finais.

O Ministério congratulou-se com aquilo que diz ser a "salvaguarda do direito à educação". A tutela diz que o colégio arbitral foi sensível aos argumentos do Ministério, de que estavam em causa necessidades sociais indispensáveis por causa da greve dos professores no mês de julho.

A esta paralisação aderiram 11 sindicatos, incluindo os dois maiores, a FENPROF e a FNE.