País

Ministério Público pede libertação de ex-líder da Juve Leo

CARLOS SANTOS

Fernando Mendes é um dos 38 arguidos em prisão preventiva, no âmbito da invasão à Academia de Alcochete.

O Ministério Público pediu a libertação de Fernando Mendes, ex-líder da claque Juventude Leonina e preso preventivamente no âmbito do processo da invasão à Academia de Alcochete, por razões de saúde, disse esta sexta-feira à agência Lusa fonte judicial.

Segundo a mesma fonte, a procuradora do Ministério Público Cândida Vilar requereu hoje a libertação do arguido, por este enfrentar um grave problema de saúde.

Cabe agora ao juiz de instrução criminal Carlos Delca, após notificar a defesa do arguido, decidir nos próximos dias sobre a alteração da medida de coação.

Fonte prisional adiantou hoje à Lusa que o antigo líder da 'Juve Leo' está internado no hospital prisional de Caxias, concelho de Oeiras, desde 18 de abril.

Fernando Mendes marcou presença no Campus da Justiça, em Lisboa, em 13 de maio, data em que devia ter começado a fase de instrução do processo do ataque à Academia do Sporting, mas a mesma acabaria por ser adiada.

Numa mensagem publicada esta semana na sua página oficial no Facebook, a claque Juventude Leonina informou que Fernando Mendes "enfrenta um grave problema de saúde" e "precisa de um transplante de medula óssea".

Fernando Mendes é um dos 38 arguidos em prisão preventiva, no âmbito da invasão à Academia de Alcochete, em 15 de maio de 2018, quando cerca de 40 elementos encapuzados invadiram o centro de treinos do Sporting e agrediram alguns jogadores e elementos do 'staff' dos 'leões'.

Dos 44 arguidos, cinco continuam em liberdade, incluindo o antigo presidente do Sporting Bruno de Carvalho, e um está em prisão domiciliária.

Lusa

  • De potência nacional a problema ambiental
    13:27
  • Mário Soares disse “É atirá-los aos tubarões”?
    1:44
  • O 11.º episódio do "Polígrafo SIC"
    20:14
  • Pobreza e exclusão social é o tema do próximo "E Se Fosse Consigo?"
    2:39