País

Greve dos motoristas “não é uma bomba atómica, é uma chantagem ao país”

Greve dos motoristas “não é uma bomba atómica, é uma chantagem ao país”

O advogado da ANTRAM garante que as negociações estavam a decorrer normalmente até à ameaça de greve.

A associação patronal dos motoristas, a ANTRAM, considera a ameaça de greve por dois sindicatos uma deslealdade negocial e um desrespeito pelos compromissos assumidos com os patrões e com o próprio Governo.

Reunidos em congresso, os motoristas dos sindicatos independentes de matérias perigosas e de mercadorias ameaçaram com uma greve a partir de 12 de agosto e por tempo indeterminado.

Os motoristas acusaram os patrões de não cumprirem o mapa de reivindicações acordado. Em concreto, os aumentos salariais e as matérias relacionadas com a dignificação do posto de trabalho.

Em comunicado, os patrões desmentem esta visão dos sindicatos.

A ANTRAM acusa os motoristas de mentirem à opinião pública e aos seus filiados. Os patrões consideram que o congresso foi uma encenação, uma vez que os sindicatos tinham aceitado, em sede negocial, os aumentos propostos para 2020 e os aumentos subsequentes.

A ANTRAM promete revelar em breve os textos dos protocolos assinados por todas as partes.

Os patrões consideram ainda irrealistas as novas reivindicações dos motoristas e acusam-nos de quererem negociar sob ameaça de greve, com o propósito de provocarem danos sociais indiscriminados.