País

Passe Navegante Família pode ser requerido a partir de hoje

A modalidade do passe Navegante Família (municipal ou metropolitano) permite que três ou mais elementos do agregado familiar paguem no máximo 80 euros.

O passe Navegante Família pode ser requerido a partir de hoje nos postos de atendimento dos operadores de serviço público de transporte de passageiros ou no portalviva.pt, anunciou hoje a Área Metropolitana de Lisboa (AML).


A modalidade do passe Navegante Família (municipal ou metropolitano) permite que três ou mais elementos do agregado familiar, com residência comprovada num dos 18 municípios da AML paguem, no máximo, o valor de dois passes metropolitanos (80 euros).


No caso de o passe ser Navegante Família municipal o valor será de 60 euros.


Em comunicado, a AML avança que para efeitos de acesso ao Passe Navegante Família, considera-se que integram o mesmo agregado familiar o requerente responsável e seus ascendentes, descendentes e afins (cônjuge ou pessoa em união de facto, avô, avó, pai, mãe, sogro, sogra, filhos, netos, aditados e tutelados).


Segundo o organismo, é ainda obrigatório que todos os membros do agregado familiar (requerente responsável e os outros beneficiários) sejam titulares do cartão Lisboa VIVA (cartão rígido, personalizado e com foto).


Para pedir o passe Navegante Família é necessário o preenchimento do requerimento de acesso, que se encontrará disponível nos sites da aml.pt, no portalviva.pt e nos balcões dos operadores de transporte indicados, além de entregar a documentação necessária relativa ao próprio e aos elementos do agregado familiar.


Após o pedido, a ativação do Navegante Família pode demorar até 10 dias.


A AML sugere ainda que os requerentes se informem ligando para a linha telefónica de apoio criada para o efeito 210 118 218, disponível nos dias úteis das 09:00 às 19:00, ou junto dos operadores de transportes.


Anteriormente, a AML informou que o Navegante Família será vendido a partir de 26 de julho, com validade a partir de agosto.


Os utentes da Área Metropolitana de Lisboa (AML) começaram em 01 de abril a sentir alívio nos preços dos transportes públicos, no âmbito do Programa de Redução Tarifária, uma medida que visa reduzir o uso do transporte individual.


Foi criado um passe metropolitano, que permite viajar em todos os concelhos da AML, por um custo máximo de 40 euros, e um passe municipal para quem viaja apenas dentro de um concelho, que custa 30 euros.

Lusa