País

Ministério Público quer Rui Rangel afastado da Operação Marquês

O Ministério Público apresentou esta sexta-feira um requerimento de recusa do juiz Rui Rangel, no âmbito da Operação Marquês.

Num comunicado, a Procuradoria-Geral da República fala em "imparcialidade do magistrado".

"(O Ministério Público) Fê-lo por considerar existir motivo sério e grave, adequado a gerar desconfiança sobre a imparcialidade do magistrado judicial."

Juiz garante que não lhe foi distribuído recurso da Operação Marquês

O juiz desembargador Rui Rangel esclareceu que o recurso que lhe foi distribuído informaticamente é do caso Octapharma, assegurando não ter para apreciação qualquer recurso da Operação Marquês, que envolve José Sócrates.

Um dos recursos atribuídos segunda-feira ao juiz do Tribunal da Relação de Lisboa prende-se com processo 'O negativo´, que envolve a empresa farmacêutica Octapharma e que resultou da extração de uma certidão da Operação Marquês.

Embora tenha havido separação do caso Octapharma dos autos da Operação Marquês, o número de ambos os processos mantém-se, divergindo nas letras.

O juiz Rui Rangel voltou ao trabalho, depois de ter estado suspenso mais de um ano e meio, por suspeitas de corrupção e tráfico de influências. O processo ainda decorre, mas a medida de suspensão ficou sem efeito, porque atingiu o limite máximo previsto na lei.