País

Greta Thunberg em Lisboa

Armando Franca

Centenas de pessoas esperaram a ativista sueca na Doca de Santo Amaro, em Alcântara.

A jovem ativista Greta Thunberg chegou esta terça-feira a Lisboa, depois de atravessar o oceano Atlântico a bordo de um catamarã.

Ao contrário do que era esperado, a ativista sueca irá ficar mais dias na capital portuguesa. Inicialmente, seria apenas uma paragem de algumas horas, antes de seguir para a Cimeira do Clima, que acontece em Madrid.

A Câmara Municipal de Lisboa cedeu alguns carros elétricos para as deslocações.

A associação ambientalista Zero, que ajudou nos preparativos da chegada de Greta Thunberg a Lisboa, confirmou à SIC que a ambientalista está acompanhada pelo pai e uma equipa que a apoia neste tipo de iniciativas.

Com esta alteração na agenda, fica-se sem saber quando e como a ativista irá para Madrid, não estando para já excluída a hipótese de a deslocação ser feita de comboio.

Já com o catamarã "La Vagabonde" ao largo da capital portuguesa, a jovem ativista sueca divulgou fotos da chegada a Lisboa e com a bandeira de Portugal hasteada.

Rafael Marchante

A ativista sueca foi recebida junto da Doca de Santo Amaro pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, e por muitos jovens ativistas portugueses.

O presidente da comissão parlamentar de Ambiente, o deputado do BE José Maria Cardoso, também receberam a ativista, assim como a deputada Maria Manuel Rola, a deputada do Partido Ecologista "Os Verdes" Mariana Silva e o vereador na Câmara de Lisboa, Manuel Grilo.

Por seu lado, o Presidente da República saudou a chegada da ativista a Lisboa, mas não irá cumprimentar a jovem à Doca de Alcântara por considerar que poderia "ser considerado aproveitamento político".

Mark Lennihan

Thunberg dá conferência de imprensa no local

Greta Thunberg, jovens ativistas portugueses, Riley Whitelum, o comandante do "La Vagabonde", barco no qual fez a travessia de Hampton, Virgínia (Estados Unidos), para Portugal, e Nikki Henderson, membro da tripulação e marinheira profissional, prestaram declarações logo após a chegada a Lisboa.

Centenas de pessoas estiveram na receção a Greta Thunberg, que se celebrizou em todo o mundo por ter iniciado no seu país (Suécia) as greves pelo clima, em protesto pela falta de medidas dos políticos para fazer face às alterações climáticas.

Greta atravessou o oceano de barco em setembro passado para participar numa cimeira sobre alterações climáticas em Nova Iorque, convocada pelo secretário-geral da ONU, António Guterres. A jovem recusou viajar num avião, que polui, e optou por um barco à vela.

Depois de participar na cimeira de Nova Iorque a jovem ativista deveria ter viajado para o Chile, para a cimeira anual da ONU sobre o clima, no caso a chamada COP25.

À última da hora o Chile renunciou à organização do encontro devido à instabilidade social no país, tendo a COP25 passado para Madrid.

Por esse motivo a jovem sueca embarcou em 13 de novembro, de regresso à Europa, no "La Vagabonde", o barco de um casal australiano que decidiu apoiar a causa ambiental.

De acordo com os organizadores da visita não está prevista qualquer outra iniciativa da jovem, que deve partir de comboio ainda hoje para Madrid, para participar na COP25, que começou na segunda-feira e que junta representantes de quase 200 países, signatários do Acordo de Paris, de redução das emissões de gases com efeito de estufa.

Greta Thunberg é hoje uma das vozes mais conhecidas na defesa do ambiente e as greves climáticas que iniciou são agora seguidas por milhões de jovens do mundo inteiro.

Portugueses sabem quem é e o que faz Greta Thunberg?

No dia em que a ativista sueca chega a Lisboa, a SIC foi ouvir o que sabem os jovens e os adultos sobre o trabalho da adolescente sueca.