País

Presidente indiano aceita convite de Marcelo para visitar Portugal

ESTELA SILVA

Marcelo Rebelo de Sousa está na Índia numa visita de Estado de três dias.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou esta sexta-feira que convidou o seu homólogo indiano, Ram Nath Kovind, a visitar Portugal e que este aceitou, tendo a visita ficado acertada para 2021.

Marcelo Rebelo de Sousa, que se encontra na Índia em visita de Estado, fez este anúncio no final de um encontro com Ram Nath Kovind, no Palácio Presidencial, em Nova Deli.

"Estou tão contente que tenha podido aceitar [o convite para a visita] , para o próximo ano. É uma notícia muito boa para nós recebê-lo em Portugal", afirmou o chefe de Estado, perante o Presidente da Índia.

"Como tem sido boa notícia ter tido os dois primeiros-ministros [António Costa e Narendra Modi] a visitarem-se um ao outro nos últimos anos", acrescentou.

Troca de elogios entre líderes

O Presidente da República referiu-se à Índia como "a maior democracia do mundo" e "um país chave para o equilíbrio no mundo" e defendeu que o seu papel no mundo deve ser reconhecido, reiterando o apoio de Portugal à sua entrada como membro permanente para o Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Os dois presidentes fizeram declarações à comunicação social, após as quais não houve direito a perguntas, em inglês, e na sua intervenção Ram Nath Kovind elogiou Marcelo Rebelo de Sousa pela "notável gestão da robusta democracia de Portugal".

"É a sua primeira visita a Índia, mas é a terceira de alto nível trocada pelos nossos dois países nos últimos três anos", assinalou Kovind, referindo que neste período têm sido celebrados "acordos em múltiplas áreas" e considerando que "isso deu um impulso sem precedente aos laços bilaterais", que atingiram "um novo máximo".

Marcelo Rebelo de Sousa, por sua vez, considerou que Portugal e a Índia estão "a viver uma nova era numa amizade duradoura que tem raízes históricas, mas que está voltada sobretudo para o futuro".

"Não esquecemos o passado, falámos de quão importante é a educação. E eu penso naqueles que estão a aprender o português aqui na Índia, nas vossas escolas também. E também na cultura, e os laços entre instituições culturais em toda a Índia, mas também em Goa, como vamos ver ao assinar alguns dos acordos", referiu.

"Mas vivemos num presente feito de mudança e de vontade política comum de dar forma ao futuro, um futuro melhor para os dois países", prosseguiu, mencionando setores de cooperação bilateral: "Economia, tecnologia, ciência, cultura, educação, assuntos sociais, defesa".

O chefe de Estado voltou a dizer que durante a presidência portuguesa da União Europeia "o tema das relações entre a União Europeia e a Índia será aprofundado, no primeiro semestre do próximo ano".

Veja também:

  • DGS teve parecer positivo para uso generalizado de máscaras

    Coronavírus

    Em Portugal a Covid-19 já fez 295 mortes e 11.278 infetados. Chegou este domingo a Lisboa um avião da TAP fretado com material médico oferecido pela China no valor de 4,5 milhões de euros. 53 portugueses foram repatriados da Indonésia e da Índia. Boris Johnson foi este domingo internado no hospital para exames, 10 dias após testar positivo para coronavírus.

    SIC Notícias