País

Mãe de Valentina fala pela primeira vez sobre a morte da filha

Exclusivo SIC

Sónia Fonseca em entrevista hoje no Jornal da Noite.

A morte de Valentina, a menina de nove anos, assassinada pelo pai e pela madrasta chocou o país.

No Casos de Polícia do Jornal de Noite desta terça, Sónia Fonseca, a mãe de Valentina, fala pela primeira vez sobre a morte da filha, confessa que a criança gostava da madrasta e recorda a última vez que falaram.

Pai de Valentina confessou o crime em tribunal

Ouvido esta quarta-feira em tribunal, o pai de Valentina contou que desconfiava que a filha estaria a ser vítima de abusos sexuais, razão pela qual lhe bateu, tentando arrancar uma confissão forçada.

Sandro Bernardo negou, contudo, a intenção de matar a filha, mas admite que a menina morreu depois de ter sido agredida violentamente pelo próprio.

O CASO VALENTINA

Os resultados preliminares da autópsia ao corpo de Valentina, encontrada morta no domingo em Atouguia da Baleia, revelam indícios de asfixia e várias lesões no corpo da criança.

As marcas encontradas no corpo da criança terão sido provocadas por uma única agressão, na manhã de quarta-feira. Contudo, ao que a SIC apurou, o corpo só foi transportado para o terreno a seis quilómetros de casa durante a noite.

Os primeiros resultados apontam também para indícios de asfixia, uma conclusão preliminar que afasta a hipótese de acidente e dá força à suspeita de homicídio.

Valentina vivia com a mãe, mas encontrava-se em casa do pai porque tinha melhores condições para ter acesso à telescola.

A criança estava desaparecida desde quinta-feira, após denúncia do pai à GNR. Depois de cerca de três dias de buscas, o corpo foi encontrado numa mata na serra D'el Rei, também no concelho de Peniche, coberto por arbustos. Os principais suspeitos são o pai e a madrasta.