País

Pai de Valentina confessa o crime em tribunal

Sandro Bernardo admite que bateu na filha mas que nunca teve intenção de a matar.

Ouvido esta quarta-feira em tribunal, o pai de Valentina contou que desconfiava que a filha estaria a ser vítima de abusos sexuais, razão pela qual lhe bateu, tentando arrancar uma confissão forçada.

Sandro Bernardo negou, contudo, a intenção de matar a filha, mas admite que a menina morreu depois de ter sido agredida violentamente pelo próprio.

Também ouvido pelo juiz de instrução do Tribunal de Leiria foi o filho da madrasta, de 12 anos, que viu a menina agonizar no sofá durante horas e depois a mãe e o padrasto a transportarem a criança à noite para fora de casa. Diz que foi proibido pelo casal de contar a verdade.