País

Veículos de manutenção da ferrovia vão continuar sem sistema de controlo automático de velocidade

PAULO CUNHA

Infraestruturas de Portugal dispensou a proposta do único fornecedor com a patente do sistema de controlo automático de velocidade.

Os veículos de manutenção e conservação da ferrovia vão continuar durante mais de um ano sem sistema automático de bloqueio.

A Infraestruturas de Portugal dispensou a proposta do único fornecedor com a patente do sistema e diz agora que só há semana e meia encontrou fornecedor para desenvolver uma solução que evite acidentes como o da última sexta-feira, em Soure.

Indiretamente admite que tudo estaria resolvido há um ano e meio se tivesse aceitado a proposta do fabricante do sistema que detém a patente do equipamento.

O sistema Convel está disponível em 1.600 quilómetros da rede ferroviária nacional, mas há 950 quilómetros que ainda não estão equipados com o mecanismo para travagem automática.

Ministério Público está investigar descarrilamento de sexta-feira

O Ministério Público está a investigar o descarrilamento do comboio Alfa Pendular, em Soure, que na sexta-feira provocou dois mortos, oito feridos graves e 36 feridos ligeiros, disse a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Questionada na sexta-feira pela Lusa, a PGR confirmou esta terça-feira "a instauração de inquérito" relativo ao descarrilamento do Alfa Pendular.

Segundo a PGR, o inquérito foi aberto na primeira secção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Coimbra. Na nota enviada à Lusa, a PGR acrescenta que, na investigação, "o Ministério Público é coadjuvado pela Polícia Judiciária".

A Infraestruturas de Portugal também já tinha revelado que abriu uma investigação interna ao acidente.