País

Destroços do desabamento no Metro atingiram carruagem com 300 passageiros

Quatro pessoas ficaram feridas. A Câmara Municipal de Lisboa diz que se tratou de um erro.

Quatro pessoas ficaram feridas num desabamento nas obras que decorrem na Praça de Espanha, em Lisboa. Os destroços caíram sobre uma carruagem do metro que seguia com cerca de 300 pessoas.

A Câmara Municipal de Lisboa diz que se tratou de um erro decorrente dos trabalhos na obra e adianta que já foi aberto um inquérito. O comunicado da autarquia avança ainda que técnicos do Laboratório Nacional de Engenharia Civil estão no local para coordenar a reparação e garantir a reabertura da estação nos próximos dias.

As reações políticas não tardaram em chegar. O vereador do CDS, João Gonçalves Pereira, publicou o comunicado da câmara no Twitter, ao qual acrescentou a frase: "Isto é o que dá pensar que Lisboa é a Medinolândia", uma crítica e referência ao presidente da autarquia, Fernando Medina.

Em comunicado, o metro de Lisboa refere que: "A circulação na linha Azul encontra-se a funcionar por troços, entre Reboleira e Laranjeiras e entre Marquês de Pombal e Santa Apolónia.

No intuito de minorar estes impactos, o Metropolitano de Lisboa desenvolveu, ainda, contactos com a Câmara Municipal de Lisboa e com a CARRIS para assegurar o reforço de transporte à superfície, no troço na linha Azul que se encontra interrompido, até que estejam garantidas as condições de segurança necessárias à reposição da circulação na linha Azul pelo Metropolitano de Lisboa.

O Metropolitano de Lisboa sugere a utilização de soluções alternativas de transporte na rede do Metro e na rede da Carris (carreiras 746 e 726) até à reposição da normal circulação no troço da linha Azul."