País

A alegada encenação que levou o pai de Rosa Grilo a ser constituído arguido 

Em causa está uma bala que apareceu um ano e meio depois da morte do triatleta.  

O pai de Rosa Grilo foi constituído arguido no processo da morte do triatleta Luís Grilo. Américo Pina foi indiciado por três crimes, pelos crimes de simulação de crime, favorecimento pessoal e posse de arma proibida.


A alegada encenação

Em fevereiro de 2020, na véspera da leitura do acórdão, surgiu um novo desenvolvimento no caso. A defesa de Rosa Grilo contactou as autoridades para revelar o alegado aparecimento de uma bala na banheira da casa onde Luís Grilo foi assassinado, em Vila Franca de Xira. A bala nunca foi detetada durante a investigação das autoridades.

A Polícia Judiciária acredita, no entanto, que se trata de uma alegada encenação entre a advogada de Rosa Grilo, Tânia Reis, o ex-inspetor da PJ, João de Sousa, e o pai de Rosa Grilo, que lhes terá dado a chave da casa.

Os três arguidos estão indiciados por simulação de crime, favorecimento pessoal e posse de arma proibida, tendo sido sujeitos à medida de coação mais leve: termo de identidade e residência.