País

Marcelo lembra Gonçalo Ribeiro Telles como "lutador pelas liberdades e a democracia"

RUI OCHOA/PRESIDÊNCIA DA REPÚBLI

Gonçalo Pereira Ribeiro Telles morreu esta quarta-feira aos 98 anos.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou esta quarta-feira a morte do arquiteto paisagista Gonçalo Ribeiro Telles, lembrando-o como um "lutador pelas liberdades e a democracia" e uma "consciência crítica" no plano ambiental.

Gonçalo Pereira Ribeiro Telles morreu esta quarta-feira à tarde, na sua casa, em Lisboa, aos 98 anos.

"Respeitado humana, profissional e politicamente por amigos, colegas e adversários, e pelos portugueses em geral, Gonçalo Ribeiro Telles deixa um legado alcançado por poucos", lê-se numa nota do chefe de Estado publicada no portal da Presidência da República na Internet.

Marcelo Rebelo de Sousa refere que, enquanto "militante político e cívico", Gonçalo Ribeiro Telles "foi fundador do Centro Nacional de Cultura e integrou vários movimentos da oposição monárquica no antigo regime, tendo sido também um dos fundadores e o mais destacado dirigente do Partido Popular Monárquico (PPM)".

LUSA

"Figura determinante na consolidação e alternativa na democracia portuguesa"

O Presidente da República acrescenta que Ribeiro Telles exerceu "diversos cargos governativos na área do ambiente, nomeadamente durante os governos provisórios em 1974 e 1975, mas principalmente nos da Aliança Democrática (AD), da qual foi fundador e deputado".

No seu entender, foi uma "figura determinante na consolidação e alternativa na democracia portuguesa".

"Como ambientalista com responsabilidades públicas, representou desde cedo, e durante décadas, uma consciência crítica esclarecida, contribuindo igualmente para importantes atos legislativos como a Lei de Bases do Ambiente ou a Lei do Impacto Ambiental, combates que prolongou na fundação de um partido ambientalista, o Movimento Partido da Terra (MTP)", considera.

"Pioneiro em Portugal das grandes questões que hoje, mais do que nunca, se mostram decisivas, homem de grande serenidade e de grandes convicções, é com emoção e saudade que me despeço de Gonçalo Ribeiro Telles, amigo de longa data, a cuja família envio sentidas condolências", escreve Marcelo Rebelo de Sousa.