País

Censos 2021 já chegaram a mais de quatro milhões de domicílios

Arquivo.

Rafael Marchante

INE pretende concluir até 18 de abril o processo de distribuição das cartas com os códigos que permitirão aos portugueses participarem no Censos 2021 via Internet.

O Censos 2021 já chegou a mais de quatro milhões de alojamentos, 66% do total, sem que tenha havido registo de burlas, anunciou esta terça-feira o presidente do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Francisco Lima adiantou que o INE pretende concluir até 18 de abril o processo de distribuição das cartas com os códigos que permitirão aos portugueses participarem no Censos 2021 via Internet a partir de 19 de abril.

"Temos 11 mil recenseadores a distribuir cartas por toda a população e, em boa verdade, já estão a fazer mais que isso, porque já estão a fazer parte do recenseamento da habitação. Uma das novidades nestes Censos é que há uma associação entre a carta recebida com o código e o alojamento que a recebe", explicou o presidente do INE numa sessão de apresentação, onde também marcou presença a Polícia de Segurança Pública (PSP).

Os cidadãos que não tiverem a possibilidade de responder ao Censos 2021 à distância ou necessitarem de apoio podem dirigir-se com a carta do INE aos E-balcões das juntas de freguesia para o fazer ou, "em última instância", aguardar pelos questionários em papel, que serão entregues a partir de 31 de maio diretamente pelos recenseadores, cumprindo protocolos de segurança em saúde pública.

Para evitar burlas, o intendente da PSP Nuno Carocha frisou os sinais aos quais a população deve estar atenta: os recenseadores têm um colete refletor amarelo, estão identificados como colaboradores do INE e, "em nenhum momento, solicitam qualquer valor monetário ou a entrada no domicílio".

Os cidadãos que tiverem dúvidas quando forem abordados devem estar atentos a estas formas de identificação dos recenseadores e, se necessário, contactar a PSP que "vai estar muito disponível para apoiar a população", garantiu o intendente.

A PSP garantiu também que pessoas de risco já estão referenciadas e vão ser apoiadas na operação censitária 2021.

No Censos anterior, em 2011, "registaram-se casos de burlas pontuais, menos de uma dezena de situações, nenhuma concretizada, e em que foi fundamental a população estar informada sobre a identificação dos recenseadores e alertar-nos de imediato assim que foram registas tentativas de aproveitamento indevido. É precisamente o objetivo que pretendemos também atingir agora em 2021", concluiu Nuno Carocha.

A fase de resposta inicia-se a 19 de abril, momento em que os cidadãos devem preencher os Censos "preferencialmente pela internet" através do 'site', mas também o podem fazer através do telefone - 21 054 20 21, que além de ser uma linha de apoio permite, pela primeira vez, responder aos Censos, segundo o presidente do INE.

A expectativa do INE é de que não vai ser necessário aplicar coimas por falta de respostas, porque não há historial com essa situação, no entanto caso venham a ser aplicadas poderão ir até aos 25 mil euros.

O INE prevê que a recolha de dados do Censos 2021 fique completa no fim de junho e em agosto sejam lançados os primeiros resultados.

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros