País

Avião da TAP retido em Caracas com droga no porão

Regis Duvignau

Tripulação encontra-se no hotel e está a colaborar com as autoridades.

A TAP confirmou esta quarta-feira que um voo cargueiro da companhia portuguesa está retido no aeroporto de Caracas, na Venezuela, depois de ter sido encontrada droga no porão.

O avião de carga A330 preparava-se para iniciar a viagem de Caracas, na Venezuela, com destino a Lisboa, quando os cães que habitualmente acompanham as equipas da polícia nas inspeções farejaram a droga, escondida no porão do aparelho.

O correspondente da agência Lusa na Venezuela, Felipe Gouveia, revela que foram encontradas 124 barras de cocaína.

A inspeção teve lugar no âmbito dos preparativos da viagem de transporte de carga que a TAP realiza, atualmente, semanalmente entre Caracas e Lisboa.

"Os três tripulantes deste voo cargueiro encontram-se no hotel e a TAP está a prestar toda a colaboração e informações às autoridades locais", informou fonte da empresa em Lisboa.

A tripulação destes voos charter é informada pela TAP com muito pouca antecedência.

Devido à pandemia, desde que a TAP interrompeu os voos para Caracas, que este modelo de avião, construído para transporte de passageiros, foi adaptado para avião de carga, após lhe terem sido retiradas as cadeiras.

Aviões têm “variadíssimos painéis, condutas e locais estranhíssimos”

Em entrevista à SIC Notícias, o comandante Filipe Conceição Silva, piloto da linha aérea que fazia a rota de Caracas, entretanto reformado, explica que é frequente serem introduzidos pacotes de droga nos “variadíssimos painéis, condutas e locais estranhíssimos” dos aviões.

Explica que as autoridades venezuelanas são extremamente competentes nas revistas e inspeções, demorando horas nas mesmas, o que por vezes até "acaba por causar atrasos nas saídas" dos voos.

Questionado sobre os próximos procedimentos, explica que as autoridades deverão dar início aos inquéritos necessários para apurar responsabilidades.

Esta não é a primeira vez que é detectada droga em voos da Venezuela com destino a Lisboa, já em 2019 foram apreendidos 50 quilos de estupefacientes.