País

Grávida que perdeu o bebé por negligência médica na Guarda chega a acordo com arguidos

Paulo Gabriel

Paulo Gabriel

Repórter de Imagem

Caso é de fevereiro de 2017.

A mulher que em fevereiro de 2017 perdeu o bebé no Hospital da Guarda por alegada falta de assistência chegou a acordo com os arguidos. Os dois médicos e a enfermeira acusados vão agora pagar 70 mil euros à vítima por danos morais.

Estavam acusados do crime de ofensas à integridade física por negligência punível até dois anos de prisão ou 240 dias de multa.

Os médicos obstetras José Coelho e Mónica Reis, tal como a enfermeira Gabriela Will, estavam a acusados do crime de ofensas à integridade física por negligência. Estavam sujeitos a serem responsabilizados com penas de prisão até dois anos ou 240 dias de multa por alegada falta de assistência à mulher que perdeu o bebé no hospital da Guarda, já no final do tempo de gestação.

Cláudia Costa compareceu esta terça-feira de manhã em tribunal, improvisado no núcleo empresarial, aceitou fazer acordo com os arguidos e o julgamento já não se fez.

Hora e meia depois de intensas conversações entre advogados e seguradoras, a unidade local de saúde também desistiu do pedido de indemnização contra os arguidos para pagamento de despesas hospitalares e tanto os médicos como a enfermeira vão pagar solidariamente 70 mil euros à vítima.