País

Marcelo chega quinta-feira a Luanda para a cimeira da CPLP

JOSÉ COELHO

Portugal estará representado pelo primeiro-ministro, pelo ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros e pelo secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação.

O Presidente da República chega na quinta-feira à noite a Luanda, onde estará até domingo de manhã, com uma agenda dominada pelos trabalhos da XIII Cimeira da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) no sábado.

Na cimeira de Luanda da CPLP, além de Marcelo Rebelo de Sousa, Portugal estará representado pelo primeiro-ministro, António Costa, pelo ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e pelo secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Francisco André, que já se encontra na capital angolana.

Já António Costa parte na manhã de sexta-feira para Luanda, chegando ao fim da tarde, devendo já participar com o chefe de Estado português e com o ministro dos Negócios Estrangeiros, pelas 19:00, no jantar de gala por ocasião dos 25 anos da fundação da CPLP.

Um jantar que incluirá um momento musical interpretado pela fadista Cuca Roseta.

Segundo fonte diplomática, no sábado, pelas 10:00, no Hotel Intercontinental de Luanda, está previsto o início da sessão solene de abertura da XIII Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da CPLP.

A cimeira abre com uma intervenção de boas-vindas a cargo do Presidente de Angola, João Lourenço, seguindo-se um breve discurso do chefe de Estado de Cabo Verde, Jorge Fonseca, país que termina a sua presidência "pro tempore" da comunidade.

Os trabalhos formais da cimeira deverão começar pelas 10:30, com a posse do chefe de Estado angolano como presidente "pro tempore" da CPLP para o biénio 2021-2023.

Ainda na manhã de sábado, antes da aprovação da declaração final e da eleição do novo secretário executivo da CPLP, que será o antigo ministro dos Negócios Estrangeiros timorense, Zacarias Alberto da Costa, os chefes de Estado e de Governo participam num debate político subordinado ao tema "Fortalecer e Promover a Cooperação Económica e Empresarial em tempos de pandemia, em prol do desenvolvimento sustentável nos Estados-Membros da CPLP".

Após o almoço, pelas 14:30, terá então lugar a sessão solene de encerramento cimeira, com a assinatura da declaração final pelos chefes de Estado e de Governo e do acordo de mobilidade entre os Estados-Membros da CPLP.

Este último acordo, impulsionado por Portugal desde 2016 e que foi fechado do ponto de vista diplomático na atual presidência de Cabo Verde, será assinado pelos ministros das Relações Exteriores e dos Negócios Estrangeiros na presença dos chefes de Estado e de Governo.

Após o discurso de encerramento pelo Presidente angolano, está prevista para o meio da tarde uma conferencia de imprensa dos responsáveis políticos nacionais presentes nesta cimeira.

Neste sábado, dia em que António Costa faz 60 anos, tanto o primeiro-ministro, como o Presidente da República, ainda não têm agenda oficial para o final de tarde e noite.

Integram a CPLP Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.