País

Mais de 60% dos alunos ainda não tem o computador prometido pelo Governo

O relatório do Tribunal de Contas critica a falta de informação sobre o impacto da pandemia na Educação.

O Tribunal de Contas diz que mais de 60% dos alunos ainda não têm o computador prometido pelo Governo. Um relatório da instituição concluiu ainda que a compra de meios digitais foi feita com atraso.

A meio de março de 2020, os alunos e os professores experimentaram um novo modelo de aprendizagem: o ensino à distância. O Tribunal de Contas aplaude a rapidez com que o sistema foi implementado, sem experiência ou tempo de preparação.

No entanto, aponta falhas e diz que não estavam reunidas todas as condições para o ensino à distância. Afirmam que havia “alunos e professores com carências em competências digitais, sem computador (quatro em cinco alunos) e dificuldades no acesso à internet” e que “as escolas tinham meios digitais obsoletos”.

O Tribunal de Contas diz que a falta de meios digitais levou a um aumento da solidariedade dos portugueses, mas garante que os problemas não foram resolvidos.

Deixam ainda uma crítica à falta de informação sobre o impacto da pandemia na Educação e aponta os alunos com menos rendimentos como os mais afetados pelo ensino à distância. O relatório deixa ainda críticas à demora na aquisição de meios digitais para as escolas, que foi condicionada pela aprovação dos fundos comunitários.

Veja mais: