País

Pai de um dos suspeitos de violação em Espanha diz estar a haver aproveitamento político do caso

Dois dos quatro portugueses suspeitos de violação em Espanha ficaram em prisão preventiva nas Astúrias, mas a defesa vai recorrer da decisão.

As famílias dos suspeitos de violação em Espanha admitem a possibilidade de avançar judicialmente contra alguns políticos espanhóis.

O pai de um dos suspeitos não quis gravar entrevista, mas falou à SIC de uma vergonhosa pressão de políticos e órgãos de comunicação espanhóis. Considera que houve um julgamento na praça pública ainda antes dos quatro portugueses serem ouvidos pela polícia.

Dois dos quatro portugueses vão ficar no centro penitenciário das Astúrias até ao inicio do julgamento, que pode levar meses. No entanto, poderão sair antes se o recurso for aceite.

A defesa vai pedir a libertação com pagamento de fiança, caso seja negada vai avançar com o pedido de transferência para uma prisão portuguesa. Os outros dois suspeitos, que ficaram em liberdade, já estão em Portugal.

O pai de um dos suspeitos diz que há um aproveitamento político do caso e admite a possibilidade de avançar com uma queixa contra alguns políticos espanhóis. Já o advogado garante que as provas mostram que o ato foi consentido pelas duas partes e que há um vídeo que o pode comprovar.

As alegadas agressões terão acontecido no pasado sábado. Os quatro amigos estavam de férias em Espanha e Gijón era a última paragem antes de regressarem a Portugal.