País

Marcelo "claramente favorável" ao alívio progressivo das restrições

Decisão do Governo foi ao encontro das experctativas dos portugueses.

O Presidente da República está satisfeito com o alívio das restrições a partir de hoje.

Em visita a São Paulo, no Brasil, Marcelo Rebelo de Sousa disse que a reabertura é sensata e corresponde às expetativas da população.

"Felizmente que a pandemia avança no bom sentido [e] que foram anunciadas já medidas de sucessiva, gradual e sensata abertura", disse Marcelo Rebelo de Sousa perante cerca de meia centena de portugueses e luso-brasileiros reunidos na Casa de Portugal em São Paulo.

Numa intervenção que, segundo o chefe de Estado português, pretendeu transmitir "o que se passa em Portugal", Marcelo Rebelo de Sousa falou ainda de "sinais económicos muito positivos" e de números de exportações "surpreendentes de bons", só possíveis, disse, pela forma como "a sociedade, as empresas e os trabalhadores souberam enfrentar os tempos difíceis".

Aos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa acrescentou que "a posição tomada pelo primeiro-ministro e pelo Governo" vai "ao encontro das expectativas de muitos portugueses".

"Nisto está implícito aquilo que considero de juízo favorável, claramente favorável, ao que foi decidido", acrescentou.

Questionado sobre se as novas medidas fizeram retornar a harmonia entre Presidente da República e Governo sobre esta matéria, Marcelo Rebelo de Sousa apontou como um dos grandes princípios de gerir a pandemia de covid-19 "a solidariedade estratégica".

"A solidariedade estratégica é ter um objetivo e trabalhar de forma sistemática em conjunto para atingir esse objetivo, envolvendo o maior número" de pessoas, disse.

O Presidente da República considerou que o percurso feito até agora "provou bem" e que não há, por isso, "nenhuma razão para não se ir em frente no mesmo percurso de solidariedade estratégica".

O Presidente da República português cumpriu no sábado o segundo e último dia de visita a São Paulo, seguindo hoje para Brasília.

  • Vamos falar de jejum: era capaz de ficar 16 horas por dia sem comer?

    País

    O jejum intermitente é um regime alimentar que impõe um período de restrição alimentar. Existem vários modelos, mas o mais conhecido é dividido em 16 horas de jejum e oito horas em que pode comer livremente. Os especialistas reconhecem benefícios nesta prática, mas afirmam que a investigação científica ainda é escassa.

    Exclusivo Online

    Filipa Traqueia