País

Polémica no liceu da Póvoa de Varzim: professor suspenso diz ser vítima de "falsos moralistas"

Professor de Economia foi suspenso por 90 dias por ter promovido vídeos de cariz sexual aos alunos.

O professor de uma escola da Póvoa de Varzim, que foi suspenso esta quinta-feira, diz que está a ser vítima de "falsos moralistas" que não respeitam a liberdade de expressão. O professor de Economia está acusado de incitar alunos a assistirem ao seu canal de YouTube, que continha vídeos obscenos.

O autor dos vídeos, professor de 63 anos, chegou este ano à Escola Secundária Eça de Queirós na Póvoa de Varzim. Esta quinta-feira foi suspenso por 90 dias por ter promovidos os vídeos na primeira aula de uma turma do 12.º ano.

No recurso enviado ao Ministério da Educação, a que a SIC teve acesso, o professor garante que "apenas sugeriu aos alunos os vídeos sobre a melhor forma de se protegerem contra a covid-19".

Considera a suspensão arbitrária e diz que está a ser vítima de pessoas que não respeitam a liberdade de expressão. Quem o acusa, acrescenta, "não é dono da moralidade".

No recurso, o professor refere ainda que "só vê os vídeos quem quer" e que o YouTube alerta que algumas imagens só devem ser vistas por maiores de 18 anos.

No início da semana, os pais dos alunos apresentaram queixa e exigiram o afastamento imediato do docente.

A direção da escola diz que o avisou a respeito dos vídeos e que estes tinham de ficar de fora da sala de aula.