País

Os resultados da primeira fase de acesso ao ensino superior

Número é inferior ao de 2020 mas o segundo maior em trinta anos.

Mais de 49 mil alunos entraram no ensino superior, na primeira fase do concurso, tendo o número descido em relação ao ano passado, mas sendo o segundo maior dos últimos 30 anos.

Depois do número de candidatos às universidades e politécnicos ter voltado a subir, o número dos que entraram, cerca de 49.452, desceu ligeiramente em relação a 2020.

O número, no entanto, é o segundo maior desde 1991.

De fora da colocação nesta primeira fase, ficam cerca de 15 mil estudantes.

De destacar, igualmente, que metade dos candidatos conseguiu lugar na sua primeira opção.

Nesta fase, Engenharia Aeroespacial em Lisboa e Medicina no Porto são os cursos com notas mais elevadas, com todos os colocados com média superior a 19 valores.

Num ano em que as médias dos exames nacionais desceram, a Universidade do Porto registou a média mais alta desde 2004, em Medicina, com cerca de 19,03 valores de média.

Contudo, no outro extremo, sete cursos tiveram média de acesso negativa e 38 cursos sem alunos colocados, na sua maioria, na área das engenharias.

Na primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, foram disponibilizadas 5.307 vagas.

Sobram, assim, 6.393 vagas para a segunda fase, que arranca na segunda-feira e termina a 8 de outubro, um valor superior em cerca de 343 vagas comparativamente ao ano anterior.

Veja também: