País

Morte de menina em Setúbal: Presidente Marcelo pede uma “reflexão” sobre a “miséria moral”

23.06.2022 16:43

LISBON, PORTUGAL – JANUARY 30: Portuguese President Marcelo Rebelo de Sousa wears a protective mask as arrives for a brief visit to the Clube dos Jornalistas at the end of the parliamentary snap election day during the COVID-19 Coronavirus pandemic on January 30, 2022 in Lisbon, Portugal. Campaigning for the legislative elections began without the usual color and movement due to the Covid-19 restrictions in Portugal. The vote comes two years early after Portugal’s parliament rejected the minority socialist government’s 2022 state budget in November 2021, leading to President Marcelo Rebelo de Sousa to call a snap election. (Photo by Horacio Villalobos#Corbis/Getty Images)

O cuidado das crianças, destacou o chefe de Estado, “é uma preocupação de todos há muito tempo”.

Sem querer comentar o caso em concreto “e doloroso” de Jéssica, a menina que morreu esta semana em Setúbal, o Presidente Marcelo lembrou que “muitas vezes falamos na miséria económica”, vincado que essa faz-se acompanhar muitas vezes da “miséria moral, que também merece uma reflexão”.

Não queria referir-me a casos concretos e dolorosos, muito dolorosos. É uma preocupação de todos os portugueses há muito tempo, o cuidado das crianças, a proteção, o acompanhamento daquelas que estão mais frágeis, mais dependentes, e portanto mais suscetíveis de serem exploradas“, vincou Marcelo.

“O que todos esperamos nestes casos é que se pegue nos que surgem, os que são conhecidos e não sabemos se há muitos mais, (…) e retiremos as lições quanto aquilo que por um lado deve haver de acompanhamento dos mais frágeis por instituições, por outro lado o que há de valores. (…) Muitas vezes falamos na miséria económica e financeira, depois há uma miséria moral (…) e ela só por isso também merece uma reflexão”.

No sentido de, prosseguiu Marcelo, se perceber “o que pode justificar que pessoas vão tão longe (…) não medindo que estão a sacrificar o que é há de mais sagrado que é o respeito da dignidade da pessoa, sobretudo de uma criança“.

O que se sabe sobre a morte de Jéssica

O caso tem ainda contornos por esclarecer, mas sabe-se que as três pessoas detidas pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeita do homicídio da menina são uma mulher, a quem a mãe da criança devia dinheiro, inicialmente identificada como ama, e o marido e a filha desta suspeita.

Os três detidos são suspeitos dos crimes de rapto, extorsão, ofensas à integridade física e homicídio qualificado.

Num comunicado divulgado ao início da manhã desta quinta-feira, a PJ refere apenas as detenções de um homem de 58 anos e duas mulheres de 52 e 27 anos, sem identificá-los.

morte da menina ocorreu na segunda-feira, depois de a mãe ter ido buscá-la a casa da suspeita, identificada pela progenitora às autoridades como ama da criança.

De acordo com a mãe, a menina esteve cinco dias ao cuidado da mulher e tinha sinais evidentes de maus-tratos, como hematomas, pelo que foi chamada a emergência médica.

A criança foi assistida na casa da mãe e transportada ao Hospital de São Bernardo, onde foi sujeita a manobras de reanimação, mas não sobreviveu aos ferimentos.

Segundo a PJ, a mãe da menina foi “ardilosamente enganada” e levada a entregar a filha por conta de uma dívida de 400 euros que tinha para com a suspeita.

Nos cinco dias em que a criança permaneceu na casa dos detidos, terá sofrido maus-tratos severos mas, e apesar de das suspeitas iniciais de eventuais agressões sexuais, esses indícios não foram confirmados na autópsia realizada esta quarta-feira.

Saiba mais

Últimas Notícias