País

Comunidade Israelita do Porto diz que Governo interferiu na naturalização de Abramovich

Loading...
CIP alega que comunidade está a ser vítima de conspiração antissemita e apresentou queixa à Procuradoria Europeia.

A Comunidade Israelita do Porto diz que o Governo interferiu no processo de naturalização de Roman Abramovich, que é cidadão português ao abrigo da lei dos sefarditas. Na queixa apresentada à Procuradoria Europeia, a comunidade diz ainda que está a ser vítima de uma conspiração antissemita.

Numa queixa com 131 páginas enviada esta semana à Procuradoria Europeia, a comunidade Israelita do Porto fala numa violenta conspiração antissemita, com o objetivo de destruir a lei que concedia a nacionalidade aos judeus descendentes de sefarditas.

A notícia é avançada pelo Público, que revela que a queixa da CIP também denuncia que o anterior executivo acelerou o pedido do oligarca russo Roman Abramovich.

Ao jornal, o gabinete de António Costa e os anteriores ministros da Justiça e da Economia negam qualquer envolvimento ou interferência no processo.

A comunidade israelita do Porto é uma das responsáveis pela emissão dos certificados das origens sefarditas.

Na sequência de denúncias anónimas, está a ser investigada pelo Ministério Público por suspeitas de associação criminosa, fraude e corrupção, entre outros crimes.

Numa nota enviada à SIC, deixa críticas à alteração da lei, de forma a tornar mais restrito o acesso à cidadania portuguesa.

Afastada do processo de certificação desde março, a CIP sublinha ainda que a comunidade foi perseguida e que famílias inteiras foram sujeitas a uma exposição caluniosa.

A comunidade israelita do Porto assinala na queixa que também o Presidente da República, o primeiro-ministro e praticamente todo o pais foram vítimas de uma conspiração, na qual estão envolvidas figuras de topo do atual Governo, membros do Parlamento e a comunicação social.

Últimas Notícias
Mais Vistos