País

Isaltino Morais alvo de buscas da PJ

Isaltino Morais alvo de buscas da PJ

Também um vogal da comissão política nacional do PSD está a ser alvo de buscas da Polícia Judiciária por suspeitas de corrupção.

A Polícia Judiciária (PJ) está esta terça-feira a realizar buscas a Isaltino Morais, presidente da Câmara Municipal de Oeiras, e a Rodrigo Gonçalves, vogal da comissão política nacional do PSD, por suspeitas do crime de corrupção ativa e passiva para ato ilícito, participação económica em negócio e prevaricação.

Em comunicado, a PJ confirma que foram realizadas várias buscas domiciliárias e não domiciliárias, designadamente, em duas Câmaras Municipais, uma Junta de Freguesia, em 13 empresas e em nove residências, todas situadas na Área Metropolitana de Lisboa.

As duas autarquias em questão são de Oeiras e Odivelas e as buscas agora realizadas visam a recolha de elementos relacionados com contratação de prestação de serviços, contratação de recursos humanos e adjudicações suspeitas.

Isaltino Morais é suspeito num processo de alegados esquemas com contratação fictícia de prestação de serviços para autarquias e existem suspeitas de apropriação de fundos da autarquia para fins pessoais, que envolvem ainda elementos ligados à direção urbanística da Câmara de Oeiras

Rodrigo Gonçalves, vogal da comissão política nacional do PSD, está também a ser investigado por ter alegadamente angariado negócios com esquemas ilícitos para as autarquias de Oeiras e Odivelas.

Operação está relacionada com projeto específico, diz autarquia de Oeiras

A Unidade Nacional de Combate à Corrupção esteve na Câmara de Oeiras a recolher material, que possa servir de prova para esta investigação, como documentos ou material informático.

Esta autarquia já confirmou a realização de buscas e explica que esta operação está relacionada com um projeto específico que foi aprovado há vários anos, chamado Porto Cruz, na foz do rio Jamor

No comunicado, Isaltino Morais afirma que não fazia parte da presidência da Câmara de Oeiras quando este projeto foi decidido, assegurando que não teve intervenção direta na aprovação desse empreendimento.

Quanto à ligação ao outro visado por estas buscas, Isaltino Morais diz que é uma “fabulação”, acrescentado que não é militante do PSD desde 2004, afastando qualquer responsabilidade neste processo.

Na Câmara de Odivelas também decorreram buscas ao longo da manhã desta terça-feira para recolher provas que sustentem as suspeitas.

As buscas foram realizadas no departamento jurídico desta câmara, onde trabalha a mulher de Rodrigo Gonçalves, e estenderam-se também ao departamento de urbanismo e aos Paços do Concelho, como explica o repórter da SIC, André Palma.

Para além da mulher de Rodrigo Gonçalves, as buscas também visaram o próprio pai do dirigente, presidente da Junta de Freguesia das Avenidas Novas.

De acordo com a PJ, após a realização dos competentes exames e intervenção pericial, a investigação irá prosseguir "visando o cabal esclarecimento dos factos que integram o objeto do inquérito, o apuramento da verdade e a célere conclusão da investigação".

Questionada pela Lusa, fonte da Procuradoria-Geral da República confirmou "apenas a realização de diligências no âmbito de um inquérito dirigido pelo DIAP Regional de Lisboa". Nesta investigação, o Ministério Público é coadjuvado pela Polícia Judiciária, revela ainda a mesma fonte.

Últimas Notícias
Mais Vistos