País

Greve dos enfermeiros obriga ao encerramento de blocos operatórios de vários hospitais

Greve dos enfermeiros obriga ao encerramento de blocos operatórios de vários hospitais
Armando Franca

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), que convocou a paralisação, está a registar uma adesão de cerca de 65% a nível nacional, percentagem que sobe para os 100% em alguns centros de saúde.

Os enfermeiros cumprem esta terça e quarta-feira mais dois dias de greve. Exigem o pagamento de retroativos a janeiro de 2018 e a igualdade de salários com os licenciados da Administração Pública. A paralisação faz-se sentir um pouco por todo o país e a registar uma adesão de cerca de 65% a nível nacional, adiantou fonte sindical.

"Temos vários centros de saúde com 100% de adesão à greve por parte dos enfermeiros e alguns constrangimentos nas consultas externas", adiantou à Lusa Guadalupe Simões, dirigente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), que convocou a paralisação de dois dias que decorre até quarta-feira.

Segundo a dirigente sindical, a nível global a adesão à greve está nos 65% no país, com reflexos nas atividades programadas, como as consultas externas e as cirurgias previamente agendadas.

A mesma entidade revelou ao início da tarde que a adesão no Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, ronda os 77,5%, no hospital das Caldas da Rainha chega aos 94%, em Peniche aos 94% e em Alcobaça aos 100%.

Ainda em Lisboa, no Hospital de São José, a urgência está com 100% de adesão e o bloco operatório 95%. Neste centro hospitalar, apesar do elevado número de profissionais que aderiram à greve, os serviços mínimos asseguram as urgências, os cuidados intensivos e o bloco operatório.

O Sindicato pretende negociar com o Ministério de modo e reforça as exigências: “Pagamento dos retroativos, o contemplar de todas as situações de enfermeiros que entretanto, muitos deles com mais experiência, vão ficar para trás em termos de progressão”, afirma Isabel Barbosa, do SEP.

Na semana passada a paralisação contou com uma adesão de 60% e hoje o sindicato revela que mais de 75% dos profissionais aderiram à greve.

Adesão no Porto

Também no Porto a greve dos enfermeiros está a ter impacto no normal funcionamento dos hospitais. À semelhança do que aconteceu na última semana, os efeitos sentem-se sobretudo nas cirurgias programadas.

O Hospital de Gaia e o Hospital de Santo António viram os seus blocos operatórios serem encerrados, devido à falta de profissionais.

No Pedro Hispano, em Matosinhos, só funcionaram três das 10 salas do bloco operatório. Os exames especiais funcionaram a 50% e as consultas de enfermagem de ortopedia chegaram mesmo a fechar.

No S.João 18 das 26 salas encerraram mas os serviços de consultas externas quase não registaram anomalias no funcionamento.

No Grande Porto, a adesão a esta greve situa-se nos 60%. Esta quarta-feira os enfermeiros voltarão a manifestar-se, desta feita em frente à porta do Ministério da Saúde.

[Notícia atualizada às 16:43]

Últimas Notícias
Mais Vistos