Polígrafo SIC

Covid-19. “Não tenho a certeza que no verão estejamos todos bem”

João Gonçalves defende que o plano do Governo é otimista e sublinha que poderá haver problemas de abastecimento das vacinas.

João Gonçalves, professor da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa e diretor do Instituto de Investigação do Medicamento, explicou, em entrevista ao Polígrafo/SIC, que concorda com o plano de vacinação apresentado pelo Governo, mas sublinha que poderá haver atrasos no abastecimento das vacinas.

“Os planos do governo são relativamente otimistas”, diz o especialista. “Porque certamente vai haver problemas de abastecimento de vacinas. Eu não quero já dizer que as vacinas não vão cá chegar todas, elas vão chegar. Mas não esqueçamos que toda a gente vai querer comprar, no mundo inteiro, inicialmente a vacina da Pfizer, da Moderna e da AstraZeneca”, esclarece.

Para atingir a imunidade de grupo, tendo em conta uma eficácia a cima dos 90%, como foi anunciada por várias farmacêuticas, seria necessário vacinar entre 60 a 70% da população, explica João Gonçalves que acredita ser difícil que tal aconteça já no próximo verão.

“Eu tenho algumas dúvidas que nós tenhamos 70% da população vacinada nessa altura. Talvez no próximo natal de 2021 estejamos todos bem, mas não sei, não tenho a certeza que no verão estejamos todos bem”, disse o diretor do Instituto de Investigação do Medicamento.

O professor concorda que os grupos prioritários definidos pelo Governo, mas sublinha que ainda não se sabe se a eficácia das vacinas será igual nas diferentes faixas etárias. Dando o exemplo da vacina da gripe, o especialista explica que a taxa de imunização baixa entre os mais idosos.

“As pessoas têm de perceber que a eficácia das vacinas nos mais velhos não é a mesma nos mais novos. Nós olhamos para as vacinas da gripe e sabemos que ela é à volta dos 30% para os mais idosos e à volta dos 60% para os mais novos. Isto leva claramente a perceber que temos aqui um problema de imunização dos mais velhos”, explica lembrando que é necessário começar por vacinar os que grupos de riscos e os que estão à volta desta faixa etária.

  • A árdua experiência com a sustentabilidade 

    Mundo

    E se alguém lhe dissesse que passaria a viver num quarto, com eletricidade apenas para pequenos utensílios domésticos, sem aquecimento central, ar condicionado ou água quente. Teria apenas três conjuntos de roupa, sem máquina de lavar ou secar, faria dieta local sem produtos de origem animal e não andaria de automóvel nem de avião?

    Opinião

    João Abegão