Polígrafo

Covid-19. Fecho das escolas foi "determinante" para "queda abrupta" de casos

Carlos Antunes, investigador e professor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, em entrevista ao "Polígrafo SIC".

Carlos Antunes, investigador e professor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, considerou que a evolução da pandemia em Portugal nas últimas duas semanas tem sido "muito positiva" e que o encerramento das escolas foi determinante para a diminuição de infetados com covid-19.

No "Polígrafo SIC" desta segunda-feira, lembrou que o número de novos casos reduziu para metade em 14 dias.

"O confinamento está a resultar", afirmou, acrescentando que está a reduzir 70% dos contactos.

Carlos Antunes mostrou, na SIC Notícias, que seis dias depois do fecho das escolas houve uma "quebra abrupta" dos casos de covid-19 e considerou que esse encerramento foi determinante para a diminuição do número de casos.

O professor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa disse também que, perante os estudos, é evidente que as escolas fecharam "tarde demais".

"O vírus já está disseminado por toda a comunidade, incluindo a comunidade escolar", realçou o professor da Universidade de Lisboa.

Para voltarmos a desconfinar, o especialista defendeu que é necessário haver uma incidência abaixo dos dois mil casos diários e um índice de transmissibilidade (Rt) abaixo de 1.

Sobre as variantes do coronavírus, disse que a do Reino Unido é a mais prevalente. É superior a 50% na região de Lisboa e Vale do Tejo e nalguns concelhos nos arredores de Coimbra.

  • Mussolini: o pai dos populistas

    Extremos

    Antonio Scurati descreve Mussolini como "o primeiro líder populista da História". O líder fascista "é sem dúvida um ditador, mas foi também o ideólogo da tipologia de liderança populista que ainda hoje domina a cena política", conta o professor e investigador italiano à equipa Extremos

    Maria Rodrigues e Rita Murtinho